i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?

Madeleine Lacsko

Foto de perfil de Madeleine Lacsko
Ver perfil

Reflexões sobre princípios e cidadania

Porta dos Fundos e YouTube terão de advertir usuários sobre produção ofensiva a religião

Decisão do TJMG é referente ao vídeo INRItado e prevê multa de R$ 10 mil por dia caso o aviso não seja colocado.

  • Madeleine LacskoPor Madeleine Lacsko
  • 14/04/2020 10:18
Porta dos Fundos e YouTube terão de advertir usuários sobre produção ofensiva a religião
| Foto:

Em mais um capítulo da batalha que já dura anos entre o Porta dos Fundos e religiosos cristãos, a Eloos, Associação pela Equidade, acaba de mudar a perspectiva do embate. Há muitos anos o especial de Natal do grupo de humoristas tem o seu marketing calcado no embate com líderes religiosos, que brigam judicialmente para tirar do ar o material. No último ano, houve muito mais barulho porque vários desses líderes são muito próximos do Governo Federal e ganharam grande alcance na internet.

Se o embate teve grande efeito tanto para tornar o especial de Natal mais popular quanto para incendiar a militância de alguns líderes, sob o ponto de vista jurídico sempre foi absolutamente infrutífero. A discussão que opõe liberdade de expressão e liberdade religiosa é profunda e complexa, não há a mínima esperança de que seja pacificada pela Justiça brasileira diante de um episódio de evidente provocação com dividendos de marketing para ambas as partes.

O advogado Gustavo Pamplona, fundador da Eloos Associação pela Equidade, resolveu fazer um pedido diferente: que o conteúdo ofensivo ao público religioso venha com um aviso. A 10a Vara Cível do Tribunal de Justiça de Minas Gerais considerou razoável e determinou que, em 48 horas, o aviso seja colocado.

"A decisão é um marco porque equilibra a liberdade de expressão com o dever de prevenir danos sejam religiosos ou morais de relevante segmento da sociedade brasileira. Não há censura ao Porta dos Fundos ou ao Google, mas apenas a ordem para eles cumprirem leis brasileiras”, explica Gustavo Pamplona. A Eloos, associação que ele fundou e representa, tem como objetivo a harmonização de direitos entre consumidores e fornecedores, além da defesa dos interesses do cidadão diante do Estado.

O vídeo sobre o qual o anúncio deve ser posto não é o polêmico especial de final de ano, mas um desdobramento dele, que está no canal do Porta dos Fundos no YouTube e é desdobramento dessa polêmica. No episódio intitulado INRItado, o mesmo Jesus que causou tanto barulho na época do Natal reaparece reclamando a um padre que os meninos do Porta dos Fundos estão dizendo que ele é gay.

A ação tirou o foco do debate quente e vazio sobre homofobia, Estado laico e liberdade de expressão, colocando em primeiro plano a razoabilidade e o reconhecimento de diversos direitos. "Há no caso um conflito de direitos fundamentais. Se por um lado, não é possível censurar a transmissão do vídeo, sob pena de violar da liberdade de expressão, por outro, a autora pretende apenas que seja determinada advertência acerca do conteúdo da produção, o que é viável. Dessa forma, estar-se-á promovendo uma ponderação dos direitos fundamentais em conflito, garantindolhes a máxima eficácia", diz na sentença a juíza Mylene Rocha Monteiro.

A base da discussão promovida pela Eloos é o Direito do Consumidor. Há relação de consumo dos cidadãos brasileiros tanto com o Google, dono do YouTube, quanto com o Porta dos Fundos. A discussão não é se os religiosos podem, devem ou querem sentir-se ofendidos com humor, é outra: os humoristas retratam o sagrado de forma diferente daquela que está na Bíblia. O consumidor tem o direito de saber que esse é o tipo de humor de um vídeo específico? A Justiça disse que sim.

" De acordo com o artigo 6º, III, do CDC, é direito básico do consumidor 'a informação adequada e clara sobre os diferentes produtos e serviços, com especificação correta de quantidade, características, composição, qualidade, tributos incidentes e preço, bem como sobre os riscos que apresentem. Por conseguinte, reputo ser prudente a informação clara sobre o conteúdo do vídeo, para advertir os cidadãos que professam a fé cristã de possível ofensa quanto ao sentimento religioso.", decidiu a juíza da 10a Vara Cível do TJMG.

O Ministério Público foi notificado para se manifestar. Google e Porta dos Fundos terão 15 dias para apresentar contestação, caso julguem necessário. Não colocar o aviso dá multa de R$ 10 mil por dia, chegando ao limite de R$ 200 mil. A decisão é de caráter liminar, o mérito ainda não foi julgado.

5 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 5 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.

  • L

    Luiz carlos bittencourt

    ± 0 minutos

    Lei feita pra não ser cumprida

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • L

      Luiz carlos bittencourt

      ± 7 minutos

      Que lei mais frouxa ... O cara paga os 200 mil, dá uma gargalhada e continua zombando da fé dos humildes ... Tinha que suspender e proibir o humorista de trabalhar em caso de reincidência ... nossa justiça é inexistente

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

      • M

        MCuritiba

        ± 1 horas

        Excelente decisão! Os fumantes passam por isso todos os dias.

        Denunciar abuso

        A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

        Qual é o problema nesse comentário?

        Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

        Confira os Termos de Uso

        • E

          Eduardo Pekush

          ± 2 horas

          Não acho que ofensa é uma forma de equilíbrio entre a liberdade de expressão e a religião. Quero ver se esses metidos a engraçadinhos do Porta dos Fundos fariam isso no oriente médio com o islamismo ou com os judeus de Jerusalém...

          Denunciar abuso

          A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

          Qual é o problema nesse comentário?

          Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

          Confira os Termos de Uso

          • J

            Jorge Dias

            ± 2 horas

            Porta dos Fundos é tão fora de moda; sempre a mesma coisa, nem merece tanta atenção assim.

            Denunciar abuso

            A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

            Qual é o problema nesse comentário?

            Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

            Confira os Termos de Uso

            Fim dos comentários.