Em semana de Atletiba, conheça o irmão coxa-branca de Mario Celso Petraglia: “O defeito dele é ser atleticano”
| Foto:

José Anibal e Mario Celso: rivalidade sadia na família Petraglia.

Quando o assunto é Atletiba, Mario Celso Petraglia sempre foi minoria na família. O atual presidente do Conselho Deliberativo do Atlético tem oito irmãos e, entre os quatro homens, o cartola é o único rubro-negro. Omar Fredy, Carlos e José Anibal são Coritiba.

Do trio coritibano, José Aníbal sempre foi o mais apaixonado por futebol. E aos 64 anos, direto de Araraquara, onde reside, o consultor e empresário coxa-branca revela como a rivalidade do clássico Atletiba mexe com a família Petraglia.

Como é ser coxa-branca e ter um irmão que é um dos principais nomes da história do rival?

É o grande defeito do meu irmão, ser atleticano. Nasceu deturpado.

Como o Sr. se tornou coxa-branca? 

Meu pai (José) era uruguaio e torcia para o Peñarol. E aqui em Curitiba era Água Verde, pois morava na Rua Bento Viana. Quando nos mudamos para a Rua Gal. Carneiro, próximo do estádio do Coritiba, passei a frequentar levado por amigos e irmãos.

O Sr. imaginava que um dia o Mario Celso assumiria o Atlético?

Não imaginava. Mas, lá por 1993, 94, quando ele foi convidado, sabia que faria história. É um gênio dos negócios, uma pessoa que está muito à frente das demais. Se tivesse mais 20 anos de vida ganharia quatro mundiais pelo Atlético. Fico triste que o Coritiba não tenha tido ninguém como ele.

Como o clássico influenciava a relação entre os irmãos Petraglia na infância?

A gente brincava muito, era uma gozação sadia. A gente jogava bola e apostava pão com bife na Vila Capanema, na época sede do Ferroviário. Eu sempre encarei o futebol como diversão, entretenimento, nunca entendi o motivo das agressões.

E como o Sr. vê a rivalidade atualmente?

Acabou aquela tensão. Com a aproximação entre as diretorias dos clubes, inclusive na Primeira Liga, acabou a agressividade, aquela postura antiga. Isso é muito legal. Baixar as armas e lutar pelo futebol do Paraná.

Qual é a sua relação com seu irmão?

Não temos relação atualmente. Saí de casa muito cedo, com 18 anos, e o Mario é oito anos mais velho do que eu. Fui para a vida. Tínhamos mais contato quando eu participava da empresa (Inepar) aqui em Araraquara, de 1997 a 2000. Agora é mais por e-mail.

Como é o Mario Celso Petraglia irmão?

Ele é muito reservado, generoso. Quando nós íamos para a casa de praia dele, gostava de cozinhar para as pessoas. É especialista em paella. E tem um senso de humor incrível. Tenho muita admiração por ele.

Quem vai vencer o Atletiba do próximo domingo (20), na Baixada?  

É difícil dar palpite sobre o Atletiba. Às vezes o Atlético está bem e acaba não ganhando. Agora, torço para o Coritiba e espero que ele ganhe em plena Baixada, com gramado sintético e tudo.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]