i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?

Memória Futebol Clube

Ver perfil

Jogo do Atlético teve cerveja e ingresso barato. E nenhuma briga

  • PorAndré Pugliesi
  • 27/01/2017 16:02
Marcelo Andrade/Gazeta do Povo
Marcelo Andrade/Gazeta do Povo| Foto:
Marcelo Andrade/Gazeta do Povo

Marcelo Andrade/Gazeta do Povo

O amistoso do Atlético contra o Peñarol, na última quarta-feira, serve para mostrar como algumas “verdades” relacionadas ao futebol, empurradas goela abaixo dos torcedores, são absolutamente questionáveis.

A partida na Baixada teve ingresso baratíssimo. Com promoção, uma entrada custava apenas R$ 10. E, dentro do estádio atleticano, para a surpresa geral, a cerveja foi vendida livremente.

LEIA MAIS: Não caia no papo de ‘clima de Libertadores’. O Atlético precisa jogar bola

Para algumas autoridades, a combinação dos dois fatores – bebida alcoólica e entrada barata – é a senha para a violência. São os dois aspectos comumente apontados como desencadeadores da desordem nos estádios.

A bebida porque deixa o torcedor “alterado” e, portanto, mais propenso a praticar algum ato hostil. E o preço barato atrai pobre e, na lógica deles, não na minha, pobre normalmente não tem educação.

LEIA MAIS: A lorota da “arenização” está enfraquecendo, para o bem do futebol

E por que não ocorreu nada na Arena? Simplesmente porque nem a cerveja e, muito menos, a entrada acessível, são os responsáveis pelas brigas. O problema é outro, bem mais profundo e difícil de enfrentar.

Há violência no futebol porque há violência em todo lugar. Há violência no futebol brasileiro porque o Brasil é um dos países mais violentos do mundo. Em 2014, houve 59.627 homicídios no país.

A situação é tão grave que, para alguns, é mais fácil encontrar desculpas. Culpar a cerveja e proibi-la. Ou desencorajar os ingressos baratos. É uma forma de “mostrar serviço” e “administrar” a situação.

Enquanto isso, não avançamos nas causas reais para conter o problema que é, obviamente, importante. E o torcedor fica privado de tomar uma simples cerveja que, sozinha, não mata ninguém.

Obs: é evidente que o fato de ter sido um jogo de torcida única ajudou no “projeto de segurança”. Por outro lado, havia jogo do Paraná no mesmo horário, com a torcida do Coritiba ainda “escoltando” a do Avaí. E, mesmo assim, tudo correu bem.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.