i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?

Memória Futebol Clube

Ver perfil

Mesa Redonda: 11 momentos inesquecíveis de um clássico da televisão

  • PorAndré Pugliesi
  • 28/09/2016 17:43
Mesa Redonda: 11 momentos inesquecíveis de um clássico da televisão
| Foto:

O Mesa Redonda na CNT reinou absoluto na noite de domingo por uma década na televisão paranaense, entre os anos 90 e 2000. Período em que o programa de debate sobre futebol colecionou audiência e passagens que se tornaram clássicas da atração que chegou a ser transmitida para 14 estados. Com o tempo, foi perdendo força até sumir. Relembre momentos marcantes:

A cirurgia do Sicupira

Sicupira, comentarista titular do Mesa, sumiu do programa. Eis que, quando retornou, o motivo ficou notável. O velho craque havia feito uma cirurgia plástica no rosto que pôde até ser avaliada pelos telespectadores numa tela “antes” e “depois”.

Boa noite especial

Tudo iniciava com o tradicional “boa noite”, quando cada comentarista fazia uma saudação, geralmente indicando um personagem ou clube. Certa vez, com os times paranaenses em alta, Capitão Hidalgo inovou: “meu boa noite vai para o contexto”.

Chute no Pachequinho

O repórter Ney Inácio realizava matérias especiais. Na mais marcante, flagrou o técnico Leão, do Atlético, mandando que o time batesse em Pachequinho, do Coritiba. Ordem captada por um microfone na janela do vestiário do Furacão, no Pinheirão.

Jabás eternos

O apresentador Fernando Gomes caprichava na exposição dos patrocinadores. Todos os convidados eram agraciados, ao vivo, com uma tonelada de jabás. Destaque para o Café Damasco e os Vinhos Campos Largo. Havia ainda o sorteio de bolas Manre e a Vila Romana.

Tristezas

O programa passou por dois momentos especialmente tristes, quando da morte dos narradores Lombardi Junior e Rosildo Portela. Lombardi se foi em 1994, após um acidente de barco. E Portela em 2000, vítima de um acidente de carro.

Fúria do Capitão

Confesso aos leitores que não lembro os detalhes. Apenas que, numa determinada noite, Capitão Hidalgo irrompeu em fúria, rasgou o regulamento de algum campeonato e atirou o papel na frente da bancada, na direção das câmeras.

Reveja a abertura do programa

Álvaro Dias x Eurico Miranda

Convidado, Eurico Miranda, deputado federal e dirigente do Vasco, fez ao vivo insinuações sobre a sexualidade do senador Álvaro Dias, então presidente da CPI do futebol. Mais tarde, Dias foi ao programa e chamou o vascaíno de “notório corrupto”.

Meu boa noite vai para…

Valter Xavier era um dos comentaristas substitutos do programa. Acabou protagonista de uma passagem clássica quando esqueceu seu “boa noite”. “Meu boa noite vai para… (silêncio)… para… esqueci”. A gargalhada foi geral.

Choque cultural

O Mesa Redonda Paraná fazia link com o do Rio. Era sempre uma confusão por causa do delay. Valia só pela sacanagem entre Sicupira e Gérson, o Canhota, ex-colegas de Botafogo. E a saudação do Gilson Ricardo, no melhor carioquês: “E aí, Ferrrrrnandão”.

Debates acirrados

Como todo programa futebolístico, os debates eram acirrados. Alguns, entretanto, mais que outros. Destaque para, na metade dos anos 90, um confronto pegado entre Mario Celso Petraglia, presidente do Atlético, e Joel Malucelli, do Coritiba.

Sessão de abraços e convidados

O final do Mesa era uma várzea. Chance de alguns convidados que ninguém conhecia aparecerem na TV para divulgar atrações bizarras. E, claro, oportunidade também para os comentaristas distribuírem abraços e fazer média.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.