Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Cada cabide representa um cargo que está sendo criado e indica uma obra ou política pública que poderia ser realizada com o recurso.
Cada cabide representa um cargo que está sendo criado e indica uma obra ou política pública que poderia ser realizada com o recurso.| Foto: Divulgação / GELD

O Grupo de Estudos Liberalismo e Democracia (GELD) pendurou, na manhã desta quinta-feira (12), 542 cabides na Praça Nossa Senhora de Salete, em frente à Assembleia Legislativa do Paraná e ao Palácio Iguaçu, em uma manifestação pedindo o veto do governador Carlos Massa Ratinho Junior (PSD) aos seis projetos aprovados pela Assembleia que criaram 542 cargos no Tribunal de Justiça, Ministério Público e na própria Assembleia.

Cada cabide representa um novo “cabide de emprego” criado pelos projetos e indica uma obra ou política pública que poderia estar sendo custeada com os R$ 100 milhões de impacto financeiro anual com os novos cargos comissionados no Poder Público.

“A criação desses cargos é desproporcional com a realidade econômica do país. Nada justifica aumentar os gastos da Gestão Pública neste momento. Estamos com a inflação acima de 10% ao ano e já temos um dos Judiciários mais caros do mundo em termos proporcionais”, disse o professor de economia, advogado e empreendedor Rodrigo Marcial, diretor-político do GELD.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]