Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
  • Ícone FelizÍcone InspiradoÍcone SurpresoÍcone IndiferenteÍcone TristeÍcone Indignado
Ratinho Junior
Ratinho Junior comemorando resultado das eleições de 2018| Foto: Albari Rosa/Gazeta do Povo

O mês de julho é o mês das definições de alianças, coligações e candidaturas visando as eleições gerais marcadas para 2 de outubro. Faltando três meses para que os eleitores vão às urnas, a corrida para o Palácio Iguaçu, no momento, parece repetir o cenário de polarização da disputa presidencial. Mas, no estado, o candidato à reeleição, o governador Carlos Massa Ratinho Junior (PSD), ainda desponta como favorito.

CADASTRE-SE e receba notícias do Paraná pelo WhatsApp

Bastante próximo ao presidente, Ratinho Junior ainda não fechou uma aliança formal com Jair Bolsonaro (PL) para outubro. A indefinição da estratégia nacional no PSD e mesmo o cálculo eleitoral sobre vantagens e desvantagens de dividir palanque com o presidente empurram a definição para depois.

O governador, no entanto, dá claros sinais de que quer estar perto de Bolsonaro, ou, ao menos, manter o apoio do eleitorado fiel ao presidente. As movimentações mais recentes foram a participação, ao lado do presidente, da Marcha para Jesus, em Curitiba, e a postura adotada diante da lei federal que reduziu a alíquota do ICMS sobre combustíveis e energia. Enquanto 12 governadores foram ao Supremo Tribunal Federal contra a lei, Ratinho Junior anunciou que o caso estava “apaziguado” e o Paraná se adequaria à nova legislação. Mesmo com expectativa de ter de assumir um rombo relevante no caixa - e de assumir o temor de não conseguir pagar todas as contas.

Do outro lado, Roberto Requião colou no ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). O ex-governador, que estava sem partido desde que foi derrotado na convenção do MDB filiou-se ao PT, em ato com a presença de Lula, e tem feito questão de trazer o debate nacional para a eleição local. Lula mantém desempenho melhor do que Requião nas pesquisas de intenção de voto no estado e o ex-governador aposta nesta associação para crescer a ponto de ameaçar o favoritismo de Ratinho.

Com a mesma dificuldade que os candidatos de “terceira via” no cenário nacional, Cesar Silvestri Filho (PSDB) tenta romper a polarização e se apresentar como alternativa. Silvestri trocou a presidência estadual do Podemos pela condição de pré-candidato a governador tucano e aposta em sua baixa rejeição para “crescer no momento certo”. Silvestri ainda espera contar com o apoio do MDB, após a aliança nacional entre os dois partidos, apesar de os emedebistas do Paraná já terem sinalizado apoio a Ratinho Junior.

Pontuando nas pesquisas mesmo sem ter se apresentado como pré-candidato, o senador Flavio Arns (Podemos) pode “ir para o sacrifício” e disputar a eleição estadual caso seja necessário criar um palanque próprio para que o senador Alvaro Dias (Podemos) dispute a reeleição. A candidatura de Arns, porém, seria uma das últimas alternativas do partido, que ainda tenta uma aliança forte para aumentar as chances de Dias.

Filipe Barros (PL) coloca seu nome na disputa como forma de garantir o palanque de Jair Bolsonaro, caso a aliança com Ratinho Junior não se confirme. O deputado federal diz ver diferenças entre o perfil do eleitorado bolsonarista e dos apoiadores de Ratinho Junior, acreditando que pode surpreender trazendo o embate nacional para a eleição local.

Apesar de apostar na candidatura de Lula no cenário nacional, o PSOL pretende lançar a professora Angela Machado ao governo do estado, não repetindo o apoio direto ao PT no Paraná. Professora da rede pública estadual há mais de 20 anos, Angela atua no Cursinho de Educação Popular Emancipa, na Vila Verde/CIC em Curitiba e no coletivo de mulheres Juntas. A pré-candidata se transformou em símbolo para os professores no 29 de abril de 2015, quando uma manifestação da categoria foi repreendida pela Polícia Militar, deixando 213 feridos.

A corrida para o Palácio Iguaçu pode mudar completamente caso o ex-juiz federal Sergio Moro (União Brasil) decida candidatar-se ao Governo do Estado. Moro e o partido trabalham com essa possibilidade e encomendaram pesquisas para avaliar as chances. No entanto, a tendência atual é de que o ex-ministro da Justiça decida concorrer ao Congresso Nacional. Nas eleições de outubro, os paranaenses vão às urnas para escolher deputados, senador, governador e presidente.

A pesquisa de intenção de votos mais recente, divulgada pela RealTime Big Data, em 27 de junho, mostra, no cenário mais completo visando ao Palácio Iguaçu, Ratinho Junior liderando com 46%, contra 16% de Requião, 5% de Arns e 3% de Silvestri.

O instituto RealTime Big Data entrevistou, pessoalmente, 1.500 eleitores do Paraná entre os dias 24 e 25 de junho. O levantamento foi contratado pelo Grupo RIC e está registrado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com o protocolo PR-06518/2022. A margem de erro é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos, e o nível de confiança é de 95%.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros

Máximo de 700 caracteres [0]