Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
novo pedágio no paraná
Governo discute novas praças de pedágio no Paraná.| Foto: Aniele Nascimento/Arquivo/Gazeta do Povo

Atendendo a manifestações expostas na audiência pública da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) sobre o novo modelo de concessões de rodovias no Paraná, o Ministério da Infraestrutura anunciou, na última quarta-feira (17), que irá reposicionar as praças de pedágio previstas para Londrina e Califórnia. O anúncio foi feito durante reunião técnica sobre o terceiro dos seis lotes previstos para o novo pedágio do Paraná.

Receba um boletim diário com notícias do Paraná no WhatsApp

“Na audiência pública, houve um posicionamento muito forte de que a localização desta praça não era a ideal e isso traria problemas e reclamações dos moradores da região. De fato, toda a praça de pedágio gera esse tipo de problema e a gente busca uma localização em pontos que reduzam esses conflitos”, disse o diretor de Transportes Rodoviários da Secretaria Nacional de Transportes Terrestres, Guilherme Bianco sobre a nova praça prevista para ser instalada entre Londrina e Tamarana, na PR-445. “Previmos uma praça lá porque achamos que eram importantes os investimentos que estamos prevendo para esse trecho. E a forma de financiá-los é com o pedágio. Diante das manifestações, Estudamos e trazemos uma proposta de trazer a praça mais ao sul. Tirar a praça e não existir nada, é impossível, mas estamos estudando a realocação da praça mais ao sul de Tamarana, quase no entroncamento de Mauá da Serra”, disse. “A praça precisa existir, sem ela, o lote não se sustenta, então vamos deslocar e o efeito negativo será o aumento de 3% na tarifa”, acrescentou.

A praça de pedágio prevista para a cidade de Califórnia, na BR-376, também deverá ser deslocada para Mauá da Serra. “É um trecho ainda mais complexo. Se não tiver essa praça, não tem mais nenhuma entre Mauá da Serra e Apucarana e não temos como financiar obras como o contorno de Apucarana e de Arapongas, por exemplo. Se descermos a praça para Marilândia do Sul, aumenta em 5% o pedágio, mas gera problema para a população de Marilândia. A tendência é que tragamos essa praça, também para o entroncamento de Mauá da Serra, mas com um acréscimo de 8% na tarifa”, explicou Bianco.

O deputado estadual Tercilio Turini (CDN), que representa a região e participou da videoconferência, considerou um avanço a nova posição do Ministério. “É uma vitória inicial, resultado da mobilização da comunidade londrinense”, afirmou. “Mas a posição permanece de não aceitar pedágio na PR-445, com a rodovia duplicada até Mauá da Serra sem cobrança de tarifa. Retirar a praça do município de Londrina atende parte da reivindicação, mas não queremos transferir o problema para outra cidade da região”.

1 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]