Um investimento urgente para avançar: capacitação em cidades inteligentes
| Foto: Pexels.

Já falamos aqui sobre a importância de se disseminar conhecimentos sobre smart cities. Afinal, a Carta Brasileira de Cidades Inteligentes já está entre nós, as novas gestões municipais foram empossadas e muito se falou, na última campanha, sobre aplicação de projetos e ações voltadas à inovação, tecnologia e bem-estar da população, temas tão caros ao ambiente das smart cities. E tão complexos de se colocar em prática de forma realmente efetiva.

Ainda são poucos os exemplos brasileiros de projetos inteligentes para cidades, se considerarmos a imensidão desse país, com dimensões de continente. São raros também os canais de formação de profissionais que pensem com a cabeça do gestor de smart cities. Quando trouxemos para o Brasil o Smart City Expo Curitiba, em 2018, percebemos a enorme carência por formação, informação, debate, reflexão sobre o tema. Tanto assim que já na primeira edição reunimos cinco mil pessoas e na segunda foram sete mil pessoas. E na terceira, que vamos realizar assim que a pandemia der trégua, temos a estimativa de mobilizar cerca de dez mil pessoas.

Algumas outras iniciativas começam a se consolidar para atender a essa demanda por conhecimento. Uma delas foi formatada justamente para transformar gestores e servidores públicos das esferas municipal, estadual e federal, dos três poderes, em especialistas em todos os aspectos do desenvolvimento de cidades inteligentes.

Lançado em 2020, o Smart City Expert é um programa de capacitação em gestão pública inteligente. O programa está inserido em um modelo para gestão municipal definido a partir das diretrizes da Carta Brasileira, lançada pelo governo federal. E sua primeira turma está se formando agora, com inúmeras histórias para contar de experiências desenvolvidas ao longo desse ano, como resultado da capacitação.

Ao oferecer essa oportunidade, o iCities pretende fazer com que os tomadores de decisão estejam aptos a elaborar projetos que envolvam as esferas social, ambiental, econômica, tecnológica e de infraestrutura. O programa é direcionado não apenas para gestores públicos, mas também para profissionais autônomos, acadêmicos, pesquisadores, representantes do terceiro setor e de entidades de classe, pois entendemos a importância de turmas multidisciplinares para a construção de um conhecimento mais assertivo.

Ao se investir na capacitação para gestão pública inteligente, ganha-se em modernização e eficiência, amplia-se a captação de recursos de fomento para a cidade ou estado, além de aumentar a geração de emprego e renda. As soluções inteligentes também aumentam a popularidade e a projeção nacional (e internacional) da sua cidade ou entidade, o que é valioso para a captação de investimentos.

Módulos temáticos

Com dez módulos temáticos, a metodologia do Smart City Expert foi desenvolvida de forma inovadora para capacitar gestores e servidores públicos no desenvolvimento de governos e cidades inteligentes, tendo foco também na capacitação de empresários, profissionais autônomos, pesquisadores e representantes de entidades de classe e do terceiro setor.

O programa possui um modelo híbrido, com 320 horas certificadas, material didático (e-book), aulas imersivas, palestras e uma videoteca exclusiva. E está alinhada com o Programa Nacional de Capacitação das Cidades (PNCC), coordenado pelo Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) a partir do embasamento que a Carta Brasileira oferece para que qualquer município crie e implemente projetos de smart cities pelo Brasil. Além disso, proporciona uma ampla rede de networking com alguns dos principais agentes em inovação e smart cities no Brasil, mentoria online e acesso a cases de sucesso no mercado.

O oitavo módulo temático do Smart City Expert, que começou agora, aborda os “Modelos de contratação para projetos de smart cities: de contratos ágeis até parcerias público-privadas”. No conteúdo programático estão incluídos uma introdução sobre contratações para projetos de smart cities; as principais leis que regem contratações públicas: tecnologia, inovação e compras públicas em geral; os conceitos de PMIs e Termos de Referência: o que é e quando utilizar; Parcerias Público-Privadas (PPPs): conceitos, aplicações e cases de sucesso; modelos de negócios inovadores para Smart Cities: cases de sucesso; o papel da transparência, integridade e compliance; decretos para Cidades Inteligentes e o Sandbox; além de soluções inovadoras através de parcerias com OSCIPs e outras instituições sem fins lucrativos.

O módulo permite que o gestor público conheça os formatos mais adequados para contratação de projetos públicos dentro dos aspectos legais e busque caminhos e modelos de contratação céleres para projetos de modernização e inovação da administração pública.

Ele é ministrado pelos professores Guilherme Dominguez, advogado e empreendedor, diretor do Programa de Aceleração de Startups do BrazilLAB e diretor-executivo do Instituto de Estudos em Liderança, Direito e Desenvolvimento (ILDD); e Isadora Cohen, coordenadora do Grupo de Estudos em PPPs, Concessões e Privatizações na Escola de Direito da FGV-SP, ex-subsecretária de Parcerias e Inovação do Governo de São Paulo.

Além disso, cada aula conta com uma palestra de um case de mercado, com destaque para o secretário de Angra do Reis (RJ), André Pimenta, criador da primeira PPP de cidades inteligentes no Brasil. Mais informações no site.

Deixo aqui o convite para os interessados em se tornar um Smart City Expert!

*Eduardo Filipe Mazzarolo Marques é sócio-diretor e diretor de estratégia e finanças do iCities, empresa de soluções para cidades inteligentes que organiza a edição brasileira do maior evento de cidades inteligentes do mundo, o Smart City Expo Curitiba, entre outras iniciativas de fomento ao ecossistema de smart cities no Brasil, como o Smart City Expert, programa de especialização em cidades inteligentes.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]