Publicidade
Mudança

Indiano Swadisht está de casa e cardápio novos

por

Depois de nove anos, restaurante indiano sai do Bigorrilho para ganhar novos ares no Batel. Conceito permanece, mas menu tem novidades

Compartilhe

Serviço

Swadisht Cozinha Indiana. Avenida Vicente Machado, 2.036, Batel. Abre de segunda-feira a sábado a partir das 19 horas. Aceita reservas pelo telefone (41) 3015-1056 e www.swadisht.com.br

Apesar de o curry em pó ser o tempero indiano mais conhecido pelos brasileiros, não é o principal nos pratos do Swadisht Cozinha Indiana. Os aromas das receitas assinadas pelo chef Ravi Shinde levam especiarias importadas da Índia e sabores de ervas como o coentro e a hortelã. O conceito continua o mesmo, mas o restaurante está em novo endereço.

Em outubro, o restaurante deixou o Bigorrilho, onde estava desde 2003, e se instalou em um imponente imóvel de dois andares, com capacidade de atender 140 pessoas.

Com a mudança, o chef também acrescentou alguns pratos no cardápio – agora são 85 opções. Entre as novidades, o Goat Masala (R$ 81), carne de cordeiro temperada com iogurte e masala (pasta feita de cebola, tomate, coco e especiarias), é uma das mais pedidas, assim como o Butter Chicken (R$ 65) e o Bengali Fish (R$ 72). Os pratos são à la carte e servem duas pessoas.

Também há novidades nas opções sem carne: o Vegetarian Finger in Shezwan Sauce (R$ 38), um mix de verduras com ricota e molho de gengibre, alho, ketchup, limão e shoyu. No cardápio, permanece o Aloo Baigan (R$ 47), feito com batatas, berinjela refogada, tomate e especiarias – que é um dos mais pedidos neste genêro. As tradicionais samosas, pastéis fritos, são servidas em porção com quatro unidades e duas opções de recheio. A de carne sai por R$ 32 e a de legumes, por R$ 30.

Ambientação

Para criar um ambiente que remetesse ao país, sedas e toalhas foram trazidas da Índia. Alguns itens que já estavam no antigo restaurante, como estátuas e lustres, foram levados ao novo espaço. Na parte construtiva, a escolha de materiais foi a dedo: a arquiteta Fernanda Jung trouxe da China madeiras, ônix, pedras, mármore e pastilhas. “Tentamos mostrar no restaurante uma coisa que as pessoas não enxergam ao falar da Índia. É o lado alegre, a riqueza cultural e espiritual que eles têm, e não o contraste social”, explica a proprietária, Rose Khemani.

Vinhos
Adega tem sistema de “elevador”

O espaço para acomodar os vinhos do novo Swadisht também aumentou. Além dos 286 rótulos, a adega ganhou uma tecnologia supermoderna. É chamada “elevadega”, uma adega vertical com piso que se eleva para o cliente acompanhar a escolha do vinho com o sommelier. O equipamento liga o primeiro ao segundo andar do restaurante.

Segundo Antônio Mendes, sommelier do Swadisht, a gastronomia indiana é mais condimentada que a italiana ou francesa e deixa o paladar mais apurado. Ele explica que não há regras para harmonizar vinhos e pratos, mas que sua sugestão é tomar os tintos com carnes vermelhas e refeições mais leves, como saladas, peixes e frango, com vinhos brancos e rosés. “A uva Gewürztraminer, muito predominante na região da Alsácia (França), combina com salada verde, com muito molho e aroma, como a cozinha indiana”, diz Mendes.

Tags: menu
Compartilhe
Publicidade

Assine a Gazeta do Povo e receba mensalmente o Bom Gourmet.