Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
 | Divulgação/
| Foto: Divulgação/

A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) lidera um estudo inédito no país sobre a relação entre as abelhas e a soja. Em parceria com a multinacional Bayer, o projeto terá duração de cinco anos e vai contemplar cinco grandes frentes de pesquisa em seis regiões produtoras. Segundo o pesquisador da Embrapa Soja e líder do projeto, Décio Gazzoni, o objetivo é entender como a soja pode se beneficiar, ou não, da presença das abelhas e tornar o sistema mais produtivo e sustentável. “É um projeto com grande relevância científica mundial, abrindo oportunidades tecnológicas muito interessantes”, explica .

Entre as linhas de pesquisas estão o mapeamento dos hábitos dos insetos polinizadores na sojicultura e o impacto dos inseticidas sobre as colônias. “Queremos usar o conhecimento na melhoria da soja e na preservação dos polinizadores”, afirma.

Abelhas

Segundo estudos da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), as abelhas e outros insetos são responsáveis pela polinização de, pelo menos, 70% das culturas, o que corresponde a 90% da oferta global de alimentos.

Segundo Gazzoni, se a presença de abelhas aumentar a produtividade, será preciso criar um sistema que atraia mais polinizadores. “Uma das hipóteses com a qual trabalhamos é a de que a presença de insetos polinizadores poderia complementar a fecundação das flores da soja, aumentando a sua produtividade”, diz.

Parceria

Para o diretor de Desenvolvimento Agronômico da Bayer, Bernard Jacqmin, o projeto nasceu de um acordo de cooperação que pretende trabalhar para um sistema produtivo mais eficiente. “Precisamos combinar necessidade de controle de pragas com produção sustentável. Entendemos que os polinizadores são essenciais para a sustentabilidade da agricultura. Essa parceria com a Embrapa vai nos ajudar no desenvolvimento de novos estudos para a realidade brasileira”, afirma.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]