Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Doença que acomete peixes, vírus da tilápia pode provocar mortalidades massivas da espécie. Apesar de ameaçar a  aquicultura, não há riscos  para saúde pública. | Jonathan Campos/Gazeta do Povo
Doença que acomete peixes, vírus da tilápia pode provocar mortalidades massivas da espécie. Apesar de ameaçar a aquicultura, não há riscos para saúde pública.| Foto: Jonathan Campos/Gazeta do Povo

O Vírus da Tilápia Lacustre (TiLV) tem sido um assuntos mais discutidos durante a Aquishow Brasil, em Santa Fé do Sul (SP), que termina nesta sexta-feira (18). Toda a cadeia produtiva da aquicultura brasileira está em alerta, já que a doença é altamente contagiosa e pode provocar mortalidades massivas de peixes (até 90%) em ambiente natural ou de cultivo.

Segundo a Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação (FAO), o TiLV surgiu em 2009 em Israel. Na América do Sul, a doença foi registrada no Equador, Colômbia e, recentemente, no Peru, além de outros países do mundo.

“Os animais infectados perdem o apetite, têm diminuição de movimento, lesões nas escamas e problemas de visão”, explica o pesquisador colombiano Edgar Andrés Pulido, que compartilhou a experiência de estudos feitos na Colômbia durante palestra na Aquishow.

Vírus da tilápia e saúde pública

Consultor e conferencista internacional, Pulido orienta que os piscicultores brasileiros reforcem as medidas de biossegurança, como minimizar a presença de predadores de tilápia e animais estranhos, além de higiene e monitoramento da doença. “É muito importante que os casos sejam reportados à autoridades, para que a gente consiga rastrear e tomar as medidas desnecessárias”, ressalta.

O TiLV não apresenta ameaças à saúde pública, mas a doença pode dizimar as populações de tilápia, o que impacta diretamente a cadeia produtiva da aquicultura brasileira. Na Tailândia, por exemplo, 90% dos estoques do peixe com o vírus morreram.

“O Brasil precisa se precaver de todas as maneiras. A produção de tilápia representa 51,7% da aquicultura nacional. Ser atingido por esse vírus interfere diretamente no setor e na economia do país, que gere empregos de forma direta e indireta”, destaca Emerson Esteves, presidente da Associação de Piscicultores em Água Paulista e da União (Peixe SP) e da Aquishow.

Santa Fé do Sul e municípios da região representam 70% da produção paulista de tilápias. No geral, a produção brasileira cresceu 8% em 2017, em comparação com 2016, atingindo 357 mil toneladas.

Negócios

Um dos maiores eventos de aquicultura do país, a Aquishow segue até sexta-feira (18), no Complexo Turístico, Cultural e Histórico Roberto Rollemberg, em Santa Fé do Sul (SP), com palestras e a participação de 106 expositores, nacionais e internacionais. A expectativa é de que o evento movimente R$ 5 milhões em negócios. O público esperado é de 3 mil pessoas nos quatro dias de evento.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]