Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Andrea Berton reabre seu restaurante em Milão
Chef Andrea Berton adaptou seu restaurante homônimo para reabertura pós-crise.| Foto: Fernanda Massaroto

É como se fosse o primeiro dia de aula. O chef e empresário Andrea Berton comemorou na última sexta-feira a reabertura do restaurante Berton, um estrela Michelin, no bairro de Porta Nuova, em Milão. "Estava cansado de ficar em casa. De cozinhar, em casa. Contava os dias para voltar à minha cozinha", diz ele que teve o privilégio de fazer parte da famosa "brigada" milanesa de Gualtiero Marchesi, o chef dos chefs da gastronomia italiana.

Os primeiros passos no reino de Andrea Berton podem ser cronometrados quase como uma prova de atletismo. Obstáculos e paradas obrigatórias. A tradicional recepção calorosa do chef, garçons e maitre é comedida. Rostos mascarados, sorrisos escondidos e saudações efusivas. O novo ritual Covid-19 começa a ser visto com normalidade. Higienização das mãos, uso de máscaras e controle da temperatura. O caminho até uma das mesas se revela uma descoberta inédita. O elegante ambiente que, no início de março, acomodava até 50 pessoas teve sua capacidade reduzida a 30.

"Estamos mais intimistas", brinca o italiano que, há mais de um mês, vinha estudando uma solução segura e acolhedora para a sua clientela juntamente com o arquiteto que havia projetado o restaurante. "Batizamos de table suítes, eu diria uma cabine particular, parecida com as da primeira-classe de algumas companhias aéreas". 

Adaptação e nova realidade

A distância nas mesas é rigorosa. Um metro. Além de pratos e talheres, um novo acessório de faz presente: pequenos sacos de plástico para que se guarde a máscara durante a refeição. Os garçons se apresentam munidos de luvas, apresentam o cardápio e se mantém à distância enquanto oferecem água. O sommelier prova o vinho. "Ainda estamos nos acostumando a certos movimentos como os de tirar e colocar novamente a máscara. Levaremos mais alguns segundos mas o serviço será sempre o mesmo", observa o maitre Gianluca Laserra.

O chef também aproveitou o tempo de isolamento para elaborar novos pratos  e receitas que são apresentados ao público após a reabertura do estrelado restaurante. Na foto, o pomodoro pelato, entrada que valoriza o ingrediente local mais abundante na Itália: o tomate.   Fotos: Fernanda Massaroto.
O chef também aproveitou o tempo de isolamento para elaborar novos pratos e receitas que são apresentados ao público após a reabertura do estrelado restaurante. Na foto, o pomodoro pelato, entrada que valoriza o ingrediente local mais abundante na Itália: o tomate. Fotos: Fernanda Massaroto.

Na cozinha, Andrea Berton mostra todo o seu talento e criatividade. Nos quase 70 dias de isolamento forçado ele se dedicou não só a promover a sua culinária por meio das mídias sociais, mas também na elaboração de novas receitas. A grande novidade é uma entrada que valoriza uma dos ingredientes mais tradicionais da gastronomia italiana: o tomate. "Temos uma variedade infinita. Creio que quase 40 tipos. É muito italiano. E por isso mesmo desenvolvi com minha equipe um prato simples mas super saboroso: pomodoro pelato (tomate sem pele desidratado)", conta ele que não deixa de provar nada do que sai de sua cozinha. "É parte fundamental do nosso trabalho. Mesmo antes da pandemia, usávamos colheres de plástico para experimentar e depois descartávamos".

"Quando entramos para trabalhar logo pela manhã, parece que estamos respirando ares de montanha", comenta o empresário que continua a instigar seus clientes. "Aviso de antemão que aqui, mesmo em tempos de pandemia, irei continuar a proclamar que não há nada melhor que comer em um restaurante. É hora de sairmos de casa. Nós, chefs, temos a habilidade de propiciar uma nova experiência, uma atmosfera celestial e um cardápio nada convencional. Principalmente agora!"

 Os mesmos princípios de higiene que já eram obrigatórios na cozinha, foram intensificados nos demais ambientes do restaurante de Andrea Berton. Além da limpeza diária, purificadores de ozônio são acionados duas vezes ao dia eliminando vírus e bactérias e impurezas do ar.
Os mesmos princípios de higiene que já eram obrigatórios na cozinha, foram intensificados nos demais ambientes do restaurante de Andrea Berton. Além da limpeza diária, purificadores de ozônio são acionados duas vezes ao dia eliminando vírus e bactérias e impurezas do ar.

Retomada e solução de venda de vouchers ajudam na reabertura do restaurante estrelado

As poucas mesas ocupadas durante o almoço servem para que os garçons se adaptem a uma nova realidade. O ritmo é mais lento. O fluxo porém volta quase ao normal à noite. "As reservas para o jantar estão aumentando. Temos casa lotada", sorri satisfeito Andrea Berton que, no final de março, teve a ideia de promover a venda de vouchers que davam direito a um menu degustação e um cálice de vinho para duas pessoas pelo preço de 150 euros."Chegamos a vender 1000 bônus. Uma iniciativa que nos ajudou a reduzir a perda econômica causada pela quarentena mas também uma forma de expressar nosso otimismo e nossa vontade de sair dessa crise".

A experiência degustativa e social proporcionada pelo chef Andrea Berton continua mostrando que sua criatividade é imbatível. Até mesmo diante a emergência sanitária que assola o mundo. Prova disso, é que mesmo munidos de máscaras, luvas e distância social, um bom prato de comida servido em um restaurante ainda consegue nos remeter à normalidade. Mesmo que seja um nova normalidade. Bom apetite! 

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]