Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Ruy Castro: “Nelson foi perseguido pelo fantasma da fome” | Arquivo / Gazeta do Povo
Ruy Castro: “Nelson foi perseguido pelo fantasma da fome”| Foto: Arquivo / Gazeta do Povo

O jornalista e dramaturgo Nelson Rodrigues, que completaria 100 anos no dia 23 de agosto, é um dos homenageados da Bienal do Livro de São Paulo. Ontem de manhã, ele foi tema de debate no Cozinhando com Palavras, espaço gastronômico da feira.

A relação do autor com a comida, porém, mais parece uma das tantas ironias mórbidas que marcam suas peças. "Ele, na verdade, foi perseguido a vida inteira pelo fantasma da fome", contou Ruy Castro, biógrafo de Nelson Rodrigues (O Anjo Pornográfico).

A virada dos anos 1920 para os 1930 trouxe uma série de tragédias para a família Rodrigues, que culminou com o fechamento do jornal da família, Crítica, pelo governo Getúlio Vargas.

A sorte começou a mudar para Nelson em meados dos anos 1940, ao se consagrar como dramaturgo com a peça Vestido de Noiva (1943). Quando finalmente teve condições financeiras para comer o que bem quisesse, descobriu que tinha úlcera e que não poderia ingerir uma porção de coisas.

Curitiba

Na próxima segunda-feira, Castro participa da abertura da 2.ª Semana de Comunicação da Universidade Positivo (R. Prof. Pedro Viriato Parigot de Souza, 5.300), (41) 3317-3000, quando vai falar sobre o legado de Nelson Rodrigues.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]