i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
opinião

B.B. King: o homem que debulhava a guitarra

  • PorIrinêo Baptista Netto
  • 15/05/2015 11:56

B. B. King teve tempo para se despedir. E isso foi bom. Com a “Farewell Tour”, sua turnê do adeus, ele veio para Curitiba três vezes. Numa delas, em 2006, eu estava no Teatro Guaíra.

Embora eu não consiga sustentar uma conversa sobre King por mais de 15 minutos – curto mais blues acústico que elétrico –, conheço e gosto de várias músicas. (Fato: é impossível viver um tempo neste planeta sem ter contato com B.B. King.)

“B.B. King, que definiu o bluesman para gerações, morre aos 89”, é o título do obituário do New York Times. Não é preciso dizer muito mais que isso.

Da apresentação, a memória mais nítida que guardei é de King, enorme, sentado numa cadeira pequena demais para ele, bizarramente confortável, balançando de um lado para o outro enquanto tocava, como se fosse um metrônomo gigante.

Octogenário, ele se poupava e não levantava da cadeira. Nem precisava.

Conversando com o público, provocando com piadas e debulhando a guitarra, ele tomava conta de todo mundo, fácil. Ver o homem tocando era como consultar um tipo de velho sábio.

“Senta aqui e deixa eu te mostrar como funciona isso que chamam de guitarra”, ele parecia dizer. E você ficava embasbacado.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.