Trabalhador do transporte coletivo postou uma foto em seu Facebook mostrando o ferimento | Reprodução/Facebook
Trabalhador do transporte coletivo postou uma foto em seu Facebook mostrando o ferimento| Foto: Reprodução/Facebook

Um motorista da linha Curitiba/Piraquara ficou ferido durante um assalto ao ônibus na noite deste sábado (5), na rodovia João Leopoldo Jacomel, esquina com a avenida Betonex, quase no limite entre Pinhais e Piraquara, na região metropolitana. Segundo Pedro Cícero Likes, de 39 anos, por volta das 22h40, dois homens entraram no ônibus e deram voz de assalto. “Eles estavam armados. Um deles colocou o revólver na minha cabeça e o outro foi com uma faca na direção do cobrador”, disse o motorista, que em 15 anos de profissão foi assaltado cerca de 50 vezes.

Os assaltantes roubaram objetos dos passageiros, como bolsas e celulares, além do dinheiro que estava com o cobrador. Havia cerca de 50 pessoas no ônibus no momento do assalto, segundo Pedro Cícero. Na hora de descer do veículo para fugir, um dos criminosos agrediu o motorista com a faca. “Ele não disse nada, eu não reagi, foi simplesmente uma agressão gratuita, sem motivo algum. Antes de descer do ônibus, ele me atingiu com a faca na parte detrás da cabeça, perto da nuca”.

Pedro Cícero, motorista de ônibus há 15 anos, conta que conseguiu se esquivar. Do contrário, o ferimento poderia ter sido grave. “Foi um ferimento leve, eu estou bem, mas é porque consegui desviar, se não teria sido bem pior, ele [assaltante] não estava para brincadeira”, afirmou o motorista, que alega já ter presenciado mais de 50 assaltos no transporte coletivo. Pedro trabalha no período da tarde e entra nas escalas noturnas somente nos finais de semana. Porém, agora, ele não quer mais trabalhar à noite ou de madrugada.

“O medo é muito grande. Eu vou pedir à empresa para não trabalhar mais à noite”, disse o motorista, embrando de outros episódios graves: “já levei coronhada de revólver, já tive faca encostada nas costas. Não é fácil trabalhar à noite”. Procurada, a Polícia Militar não foi encontrada para comentar o caso.

Outros episódios

Esse foi mais um caso grave de violência no transporte coletivo de Curitiba e região metropolitana. No último dia 23, um motorista foi assassinado em um arrastão na linha Curitiba/Jardim Paulista. Três dias depois, um cobrador de uma estação-tubo no Cabral foi baleado. Os sucessivos episódios levaram o Sindimoc, o Sindicato dos Motoristas e Cobradores, a cobrar das autoridades a instalação de câmeras de segurança em todos os ônibus e estações-tubo da Grande Curitiba.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]