Secretária da Saúde de Curitiba, Márcia Huçulak, durante entrevista coletiva.
Secretária da Saúde de Curitiba, Márcia Huçulak, durante entrevista coletiva.| Foto: Átila Alberti/Tribuna do Paraná

Encerrado nesta segunda-feira (5) após 23 dias de vigência, o lockdown baixou a transmissão do coronavírus. Porém, o principal efeito da restrição severa adotada pela bandeira vermelha só será sentido nos próximos dias: a redução de pacientes graves internados com Covid-19, cuja ocupação de leitos de UTI segue muito alta, em 97%.

Receba notícias de Curitiba e do Paraná pelo WhatsApp

Segundo a secretária municipal da Saúde, Márcia Huçulak, a ocupação em leitos intensivosdeve levar ainda alguns dias para refletir os resultados do lockdown. “A gente acha que ainda vai uma semana nesse patamar alto de ocupação de UTIs e, infelizmente, com muitos óbitos ainda”, afirmou a secretária em entrevista ao jornal Meio Dia Paraná, da RPC, nesta segunda.

Dois índices referentes à aceleração do contágio foram reduzidos em 23 dias de bandeira vermelha. O resultado, aponta Márcia, foi uma procura menor por atendimentos, o que se refletiu numa taxa de ocupação de leitos de enfermaria de 88%.

O primeiro dos índices de transmissão a cair foi a taxa R, índice que mede a reprodução do vírus cujo ideal é ficar abaixo de 1. A taxa chegou a 1,41 em março, ou seja, 100 pessoas eram capazes de transmitir a Covid-19 para outras 141 pessoas. Quinta-feira (1.°), a taxa R caiu para 0,77, quando 100 pessoas eram capazes de transmitir para outras 77. Redução de aproximadamente 45%.

Já a média móvel de casos em sete dias era de 1.172 infecções em 13 de março, primeiro dia de vigência do lockdown. No último boletim epidemiológico divulgado pela SMS, sábado (3), a média móvel caiu para 813 casos - redução de 30% em 23 dias de proibição de atividades não essenciais.

"A ocupação de UTI é o último índice que vai cair, porque é uma cadeia. Aumentam os casos ativos, aumenta internação, aumenta UTI, aumenta óbito. Na cadeia ao contrário, diminuem os casos ativos, vai diminuir a entrada para internação e há uma tendência também de queda da UTI, mas é mais lenta”, explica a secretária de Saúde. "Essa nova variante atingiu muito a população jovem na faixa de 30 a 59 anos, e é uma população que permanece, em média, mais tempo também na UTI”, completa.

Parâmetros

Após ficar 12 dos 23 dias de vigência do lockdown com UTIs 100% ocupadas ou mesmo acima de suas capacidades, domingo (4)) a ocupação ficou em 97%, com 13 dos 517 leitos livres, segundo dados do painel Covid-19 da prefeitura de Curitiba. O índice de ocupação dos leitos exclusivos para a Covid-19 é um dos parâmetros utilizado pela prefeitura para realizar a mudança de bandeiras, junto com outros oito indicadores.

A taxa de positividade nos testes para a doença também foi levado em conta. Segundo a prefeitura, atualmente, entre 30% e 33% das amostras coletadas deram positivo para a Covi-19. Antes das medidas de restrição mais duras, a proporção cheogou a 50%.

60 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]