Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

PUBLICIDADE

Crise da identidade

População espera até 17h para conseguir um novo RG em mutirão de Curitiba

Para garantir atendimento, pessoas chegaram no meio da tarde do dia anterior para conseguir atendimento no Mutirão da Cidadania do Pinheirinho nesta quinta-feira (5)

  • Raquel Derevecki e Durval Ramos
Fila dava voltas e voltas na Rua da Cidadania do Pinheirinho | Aniele Nascimento/Gazeta do Povo
Fila dava voltas e voltas na Rua da Cidadania do Pinheirinho Aniele Nascimento/Gazeta do Povo
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

O quarto Mutirão da Cidadania realizado neste ano em Curitiba escancarou, mais uma vez, a enorme dificuldade na emissão da carteira de identidade na capital paranaense. Centenas de pessoas madrugaram na Rua da Cidadania do bairro Pinheirinho nesta quinta-feira (5) para tentar conseguir atendimento. Diante da ineficiência crônica do sistema de agendamento online do Instituto de Identificação do Paraná (IIPR), teve gente que chegou na fila ainda na tarde de quarta-feira e esperou por quase 17 horas para conseguir um simples RG.

Veja o tamanho da fila no primeiro dia do mutirão

Foi o caso do mecânico Luiz Antônio Gonçalves, de 34 anos. Ele teve o seu documento roubado no último fim de semana e precisa de uma nova via para disputar uma vaga de emprego. “Cheguei ontem 16h30 e já fiquei na fila porque preciso da identidade para conseguir trabalhar. Um amigo que me falou do mutirão e vim pra cá”, conta o rapaz que só foi atendido por volta das 9h.

Só que ele não foi o único a passar a noite na Rua da Cidadania. Às 22h, quando a auxiliar de padaria Rosangela Miranda Barbosa chegou ao local, outras pessoas já faziam companhia a Luiz Antônio na longa vigília por um RG. Ela pegou folga do trabalho e foi acompanhada das filhas Kamilly e Kawane, de 12 e 15 anos, prontas para dormir ali mesmo, no chão. “Colocamos os cobertores na mochila e viemos dormir aqui para conseguir. Estendemos a coberta e dormimos na frente da rampa de acesso”, explica.

/ra/pequena/Pub/GP/p4/2018/04/05/Curitiba/Imagens/Vivo/ef1678b0-ae43-49a9-9b20-ba7c2eebc5e2.jpg
O mecânico Luiz Antônio Gonçalves chegou às 16h30 de quarta para fazer uma nova identidadeAniele Nascimento/Gazeta do Povo

Rosangela conta que este não é o primeiro mutirão em que ela tenta o documento. Moradora do bairro Sítio Cercado, ela conta que foi à regional do Fazendinha na semana passada e, mesmo chegando de madrugada, não conseguiu uma senha. Além disso, ela diz que tentou várias vezes acessar o agendamento online do IIPR, mas sem sucesso.

Esses casos apenas reprisam o drama que outras pessoas enfrentaram em mutirões anteriores. No início de março, a gazeta do Povo encontrou outras pessoas que esperaram por 17h pelo documento na ação realizada no bairro Boa Vista. No Fazendinha não foi diferente e, em Santa Felicidade, as senhas se esgotaram em apenas duas horas.

Em cima da hora

Para quem precisa de um RG, encarar dezenas de horas não é questão de ansiedade, mas de necessidade — e chegar nas primeiras horas da manhã do dia do mutirão pode significar não ser atendido. Por volta das 9h, quando a distribuição das senhas de fato se iniciou, a fila já dava voltas na Rua da Cidadania e agentes da regional informavam que nem todo mundo conseguiria o documento.

A dona de casa Roseli Ortiz, 48 anos, por muito pouco não foi uma das pessoas que precisou voltar na sexta-feira. Ela chegou às 8h à Regional do Pinheirinho e foi informada que já tinham 400 pessoas na sua frente. Tanto que ela ficou exatamente atrás do cone que marcava o fim dos atendimentos garantidos. Daquele ponto em diante, somente com sorte. E foi o aconteceu. “Parece que uma mulher que estava lá na frente foi para o atendimento prioritário, então vai sobrar uma senha para mim”, comemora. “Preciso fazer a identidade pro meu filho porque pelo site e não consegui. Ele tem 14 anos e nunca fez. Agora, o colégio pediu”.

Próxima chance

Quem não conseguiu atendimento neste primeiro dia de mutirão vai precisar voltar nos próximos dias. Mais 400 senhas serão entregues na sexta-feira (06) e outras 300 no sábado. No entanto, assim como aconteceu em todos os outros mutirões de 2018, será preciso chegar cedo para conseguir fazer o RG.

Enquanto isso, prefeitura e governo estadual seguem com as promessas de resolver o problema que já se estende por quase dois anos. No início de março, durante o Mutirão da Cidadania do Boa Vista, o governador Beto Richa (PSDB) prometeu que todas as regionais da capital estariam aptas para emitir o documento até o fim do mês. No entanto, o mês de abril já se iniciou e isso ainda não aconteceu. Na última segunda-feira (02), foi firmado um convênio para a cessão dos espaços destinados ao serviço, mas ainda sem previsão de quando as unidades começam a operar.

Já em relação ao agendamento online, a Secretaria de Segurança Pública fez mudanças no acesso ao sistema e passou a liberar vagas para Curitiba, Região Metropolitana e Litoral em horários diferentes para tentar desafogar o sistema. Contudo, isso parece não ter resolvido o problema e a população segue enfrentando dificuldades na hora de acessar a página.

o que você achou?

8 recomendações para você

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Curitiba

PUBLICIDADE