i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Indenização

BRF terá que pagar R$ 1 milhão por trabalho em condições análogas à escravidão

A empresa, detentora das marcas Sadia e Perdigão, foi condenada por causa de condições degradantes de trabalho em fazenda no interior do Paraná

  • PorKelli Kadanus
  • 26/08/2014 15:39

A empresa BRF, dona das marcas Sadia e Perdigão, foi condenada pelo Tribunal Regional do Trabalho do Paraná (TRT-PR) a pagar uma indenização de R$ 1 milhão por causa de condições degradantes de trabalho em uma fazenda no interior do estado. Após uma investigação do Ministério Público do Trabalho no Paraná (MPT-PR) em Umuarama, foram constatadas em 2012 condições precárias e trabalhadores vivendo em condições análogas à escravidão. Todas as irregularidades foram encontradas em atividades de reflorestamento em uma fazenda em Iporã, no interior do estado.

Os problemas iam desde jornada excessiva e condições precárias dos alojamentos, até a contaminação da água fornecida aos trabalhadores para consumo. A BRF alegou que as atividades de reflorestamento eram feitas por empresa terceirizada, mas a Justiça do Trabalho entendeu que a empresa deveria ser condenada, já que também é responsável pela garantia de um ambiente de trabalho saudável.

O valor da indenização será destinado à compra de veículos e equipamentos ao Ministério do Trabalho e Emprego, a serem utilizados em fiscalizações no meio rural.

Outro lado

Em nota, a BRF negou ter tomado conhecimento das práticas irregulares apontadas na decisão durante o período da prestação de serviços pela empresa contratada (SLS Reflorestadora). De acordo com a BRF, as acusações foram contra a prestadora de serviços e nunca contra a companhia. A BRF afirmou ainda que a prestadora de serviços firmou Termo de Ajustamento de Conduta com o Ministério Público do Trabalho obrigando-se a não incorrer em tais práticas.

A empresa afirmou ainda que já recorreu da decisão e aguarda julgamento do recurso, confiando no Poder Judiciário.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.