i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Análise

Copom mostrou empenho do BC contra inflação, diz Tombini

De acordo com Tombini, "este remédio, os juros mais altos, para trazer a inflação para baixo, reforça a confiança nos pilares da economia brasileira, nos fundamentos da economia brasileira"

  • PorAgência Estado
  • 31/05/2013 07:57

O presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, explicou nesta quinta-feira (30) a decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central de elevar a taxa a Selic em 0,5 ponto porcentual, de 7 5% para 8,0% ao ano. Em entrevista ao Jornal Nacional, da TV Globo, Tombini afirmou que os juros mais altos ajudarão a fortalecer a confiança de que o BC está atento e não abrirá mão do combate à inflação.

"O que nós queremos é que a queda se consolide e traga a inflação para um patamar mais baixo ao longo do tempo, não só neste ano como no ano que vem também", disse. "Então, o trabalho do Banco Central vem no sentido de fazer, por exemplo, com que os preços dos alimentos no atacado passem de forma mais clara, mais firme, para uma inflação menor no nível do consumidor", acrescentou.

De acordo com Tombini, "este remédio, os juros mais altos, para trazer a inflação para baixo, reforça a confiança nos pilares da economia brasileira, nos fundamentos da economia brasileira". Tombini acrescentou que "a confiança faz bem para o PIB". "Então nós estamos trabalhando também ajudando a consolidar esse processo de recuperação gradual da economia brasileira." O presidente do Banco Central afirmou ainda que o Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro não deve crescer mais que 3,0% em 2013.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.