São Paulo - A agência de classificação de risco Standard & Poor’s (S&P) divulgou em um comunicado que rebaixou o rating de longo prazo da dívida soberana da Itália para A, de A+, e o rating de curto prazo para A-1, de A-1+, atribuindo perspectiva negativa para ambos. "O rebaixamento reflete nossa visão de enfraquecimento na perspectiva de crescimento da Itália e também a visão de que a frágil coalizão do governo italiano e as diferenças políticas dentro do parlamento vão continuar limitando a capacidade do governo para responder de forma decisiva aos ambientes macroeconômicos doméstico e externo", disse a S&P – a mesma agência que rebaixou a dívida norte-americana em agosto.

A agência divulgou também que a perspectiva negativa para os ratings reflete os riscos de o governo italiano não cumprir as metas fiscais para o período que vai de 2011 a 2014, assim como as dúvidas sobre se as medidas de estímulo ao crescimento serão implementadas dentro do prazo.

Segundo a S&P, o governo da Itália acredita que o programa de ajuste fiscal para os próximos anos resultará numa consolidação de aproximadamente 60 bilhões de euros até 2014. A agência, no entanto, acha que a expectativa dos italianos está muito alta e citou três motivos para isso: o crescimento potencialmente mais lento da economia do país; o fato de quase dois terços do plano de ajuste fiscal ser baseado em aumentos de impostos; e, por último, a provável elevação nas taxas de juros do mercado nos próximos meses.

"A diminuição da demanda externa, os programas de austeridade do governo e a pressão sobre os custos de financiamento tanto no setor privado quanto no setor público vão, na nossa opinião, resultar num crescimento menor para a economia italiana. Achamos que essa redução no ritmo da atividade econômica dificultará o cumprimento das metas fiscais", acrescentou a agência.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]