i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Reforma tributária

Governo estuda cobrar um “imposto verde”: o que é e como ele funciona no mundo

  • PorAndrea Torrente, especial para a Gazeta do Povo
  • 07/09/2020 17:12
Governo estuda cobrar um “imposto verde”: o que é e como ele funciona no mundo
| Foto: Agência Pará/FotosPúblicas

Adotado por 46 países, o “imposto verde” é considerado essencial – por governos e instituições internacionais como o Banco Mundial e o Fundo Monetário Internacional (FMI) – para zerar as emissões de gases de efeito estufa e financiar a transição para a economia verde. No Brasil, a introdução desse tributo está na pauta da reforma tributária.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, estuda inclui-lo na segunda fase da reforma que será enviada ao Parlamento. "Nós estamos no Acordo de Paris, temos crédito de carbono. Vamos taxar o carbono no Brasil, vamos preservar nossas florestas. Não precisamos ir à Amazônia para produzir bens agrícolas. Isso não vai acontecer", disse Guedes em videoconferência promovida pelo Aspen Institute, no início de agosto.

Os detalhes da proposta do governo ainda não foram revelados, mas a assessora especial do ministério da Economia, Vanessa Canado, afirmou que, para não elevar a carga tributária, o novo imposto será compensado pela diminuição de outros tributos. E especificou que o dinheiro arrecadado será destinado ao combate do desmatamento.

O gás carbônico é o principal responsável pela elevação da temperatura global e os combustíveis fósseis respondem por 63% dessas emissões. Para desincentivar os combustíveis poluentes, os países adotaram basicamente duas estratégias: taxar as toneladas de dióxido de carbono (CO₂) lançadas na atmosfera e aumentar a carga tributária sobre carvão, petróleo e seus derivados.

“Existem dois aspectos nessa proposta: melhorar a imagem do Brasil, com o governo posando de bom moço, e arrecadar mais dinheiro”, avalia o professor da FGV, Alexandre Motonaga. “O ideal é fazer um sistema unificado de proteção ao meio ambiente, não ficar apenas no gás carbônico, e dividir entre as competências federais, estaduais e municipais”, diz o especialista.

No dia 25 de agosto, a Frente Parlamentar Ambientalista (FPA) apresentou um conjunto de nove propostas para aperfeiçoar os textos em discussão na Comissão Mista Temporária da Reforma Tributária. Segundo os cálculos da FPA, o governo pode arrecadar até R$ 50 bilhões por ano com o novo tributo.

“Nós estamos propondo dentro do princípio da neutralidade. Ou seja, o que viermos a arrecadar a mais – seja dentro de um imposto seletivo, de uma Cide-ambiental ou de uma Cide-carbono –, a ideia é que isso possa permitir a redução da alíquota do IBS [Imposto sobre Bens e Serviços em discussão na reforma tributária]”, explicou em live André Lima, do Instituto Democracia e Sustentabilidade, que ajudou na elaboração da proposta.

Recentemente, empresários nacionais e investidores internacionais solicitaram ao governo ações concretas para preservar o meio ambiente, já que a má imagem ambiental do Brasil no exterior repercute nas exportações e afeta os investimentos estrangeiros. A agenda verde é defendida também por 18 ex-ministros da Fazenda e ex-presidentes do Banco Central que em julho enviaram uma carta pedindo ao governo um esforço para a transição rumo a uma economia de baixo carbono.

“Estamos propondo que seja vetado qualquer incentivo a atividades econômicas altamente emissoras e a tributação dessas atividades. [Como] hoje a arrecadação é muito centralizada no governo federal, muito pouco chega aos municípios, estamos propondo também que haja uma maior arrecadação para os municípios para que eles possam assumir a responsabilidade de gestão ambiental”, afirmou Lima.

De acordo com Fagner Souza, especialista da empresa de consultoria Mazars, Guedes deve optar por um desses três caminhos:

  • embutir o “imposto verde” na Contribuição sobre Bens e Serviços (CBS), tributo que unifica PIS e Cofins, e que consta da primeira fase da reforma enviada ao Congresso; ou
  • criar uma nova taxa nos moldes da Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide-Combustíveis), ou seja, um tributo com finalidade definida; ou
  • incluir a taxa no chamado Imposto Seletivo, também batizado de “imposto do pecado” porque incidiria sobre produtos nocivos à saúde, como cigarros, bebidas e eventualmente açúcar.

Atualmente, a alíquota do Cide sobre combustíveis é de R$ 0,10 por litro de gasolina e de R$ 0,05 por litro de diesel. A União usa esse dinheiro para infraestrutura de transporte, projetos ambientais relacionados à indústria de petróleo e gás e em subsídios ao transporte de álcool combustível, gás natural e petróleo.

“Para o Brasil, inclusive para ter uma fiscalização melhor, seria mais fácil instituir uma Cide específica para o setor energético poluente, basicamente petróleo e seus derivados, nos moldes europeus”, sugere Souza.

Qual seria o impacto do imposto verde no Brasil

Documento recém publicado pelo World Resources Institute (WRI – Brasil) calculou que o PIB brasileiro pode crescer em mais R$ 2,8 trilhões até 2030, com um aumento líquido de 2 milhões de novos empregos e redução de emissões de CO₂ de até 45% em relação a 2005.

O FMI recomenda que os países adotem até 2030 uma taxação de US$ 75 por tonelada de gás carbônico lançada na atmosfera. O valor desincentivaria as emissões poluentes de tal maneira que evitaria que a temperatura global suba mais de 2° C até 2100, limite considerado seguro para a comunidade científica internacional. No ritmo atual, a temperatura deve subir até 4° C, o que causaria uma catástrofe ambiental.

Se o Brasil adotasse um imposto de US$ 75 por tonelada, o país poderia abater em 20% as emissões até 2030, calcula o FMI. E caso respeitasse também os demais compromissos ambientais previstos pelo Acordo de Paris, do qual o Brasil é signatário, a redução seria de até 35%.

Um imposto desse tamanho, porém, teria um impacto direto nos preços da energia. O carvão sofreria um aumento de 224%, o gás natural subiria 131%, a energia elétrica, 7% e a gasolina, 13%. A nova receita engordaria os cofres públicos na ordem de 1% do PIB, equivalente a cerca de R$ 73 bilhões.

Além do setor energético, o agronegócio brasileiro, que representa cerca de 25% do PIB, também poderá ser afetado pela mudança. Para mitigar as emissões bovinas de metano, de nitróxido dos fertilizantes e do gás carbônico causado pela deflorestação, o FMI sugere impostos sobre as cabeças de gado, o uso de pesticidas e os lucros das empresas envolvidas no desmatamento.

Medidas como essas já foram implementadas na Nova Zelândia, que, assim como os países europeus, pretende zerar as emissões até 2050. A China também vai no mesmo caminho: o governo de Pequim lançou um projeto piloto para reduzir as emissões na construção civil, na aviação doméstica e na indústria da celulose.

O imposto verde no mundo

Nos países que já adotaram o imposto verde, cada tonelada de CO₂ lançada na atmosfera é taxada e o dinheiro arrecadado é reinvestido na economia verde. Em 2019, os governos arrecadaram US$ 45 bilhões, metade dos quais financiaram projetos e investimentos sustentáveis.

A Suécia foi o primeiro país a instituir, em 1991, o imposto verde, cujo valor é de US$ 127 por tonelada, o mais alto no mundo. Desde 1995, ao mesmo tempo que o país cortou 25% das emissões de Co2, a economia se expandiu em 75%. A Suíça é o único outro país que taxou as emissões acima do recomendado pelo FMI: o valor é de US$ 96 por tonelada. Finlândia e Noruega chegam perto, com US$ 65 e US$ 59 por tonelada, respectivamente.

A situação varia de país para país e, algumas nações federativas, como Estados Unidos e Canadá, têm tributos estaduais. Para que a política ambiental seja eficaz, o FMI aponta que é necessária a participação dos três maiores poluidores – China, EUA e Índia – que juntos representam metade das emissões globais.

A entidade calcula que no caso de China, Índia e Rússia um imposto de US$ 25 por tonelada seria suficiente para alcançar as metas estabelecidas no Acordo de Paris. Para os grandes poluidores, como Canadá e Austrália, US$ 75 por tonelada é um valor insuficiente para respeitar o acordo.

A América Latina também deu os primeiros passos para tributar o carbono. México, Chile e Colômbia introduziram o imposto entre 2014 e 2017, com valores que oscilam entre US$ 1 e US$ 5 por tonelada, muito abaixo do recomendado pelo FMI.

Em vez de taxar as emissões de carbono, outros países optaram por elevar a carga tributária sobre o carvão. No Canadá e Reino Unido, o combustível fóssil foi taxado, respectivamente, em US$ 15 e US$ 24 por tonelada.

22 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 22 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.

  • C

    CARLOS_PG_45

    ± 2 dias

    Mais um imposto que a população irá pagar, e pior, o dinheiro arrecadado não vai para combate ao desmatamento, vai para o bolso dos políticos corruptos. Ainda mais agora que conseguiram acabar com a lava jato.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • R

    Rayane Santos

    ± 2 dias

    Governo taxa a empresa, a empresa taxa o povo...aguardando qual estratégia o governo vai usar para que a população não pague a conta para que eles fiquem bem vistos no cenário mundial!

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • F

    Francisco Krupa

    ± 2 dias

    Mais um governo dos mesmos. Só pensam em criar impostos pra aumentar a arrecadação. E a bomba sempre estoura no povão que não tem pra quem repassar e principalmente o assalariado que não tem como sonegar.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • C

    Caio Zepellini Vettori

    ± 2 dias

    Incrível como a narrativa de aquecimento global ainda tem tração nos veículos de mídia. Uma coisa é se preocupar com poluição local, lixo, saneamento, outra é essa palhaçada de 2 graus mais quentes no ano de 2100. Diversos ex integrantes desses painéis climáticos globais alertam para a manipulação de modelos de projeção. É o cientificismo e globalismo supranacionais imperando, infelizmente.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • I

    IvoHM

    ± 2 dias

    Taxar "emissões de carbono para diminuir o aquecimento global" por meio de tal Imposto verde é tomar parte da maior picaretagem já concebida pelos globalistas. É muita empulhação, e todo mundo cai na esparrela. Daqui a pouco, vem a pirralha Greta encher o sahk0.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • D

    DANIEL MENDES DA SILVA CANDIDO

    ± 2 dias

    Parece que o lobby internacional venceu a queda de braço. Inicialmente, o presidente tentou resistir ao neo colonialismo da ONU contra a soberania das nações; mas tem ficado cada vez mais complicado. Restou a Guedes suavizar a situação dizendo que vai reduzir alíquotas em outras áreas para compensar da criação desse tributo absurdo.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • S

    Sérgio Guerra

    ± 2 dias

    Não está especificado quem vai pagar?as nós sabemos

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • C

    Carmo Augusto Vicentini

    ± 2 dias

    Imposto é roubo! Chega!

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • R

    Roco

    ± 2 dias

    Chega de impostos

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • G

    Gabriel Schneider

    ± 2 dias

    Todo e qualquer tipo de imposto é roubo e a estrutura estatal é e sempre será uma GANG!

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • J

    JOSMAR PORTUGAL VAZ

    ± 3 dias

    Mais um imposto . Entretanto, vão continuar a gastança que não tem fim. A máquina pública inchada , extremamente obesa que não consegue andar . Não falam em diminuir gastos. Ah, ainda querem recriar a CPMF , imposto em cascata , covarde e cruel para fechar o caixão do povo brasileiro cansado de tanto tributos. A correção da tabela do IR caiu no esquecimento. O maior ladrão é o governo federal que não dá o básico que é a saúde, educação e segurança pública . Pega na mentira......vergonha.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    1 Respostas
    • N

      Nm

      ± 2 dias

      Quem viu o debate de Paulo Guedes na comissão mista da reforma tributária tem idéia da correção da tabela de IR. " o executivo e o legislativo so tem autonomia sobre 4% do orçamento nacional, o resta está todo carimbado" falou Paulo Guedes.

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • P

    Plinio

    ± 3 dias

    Mas era.menos impostos ,menos Brasília? A guinada está incompreensível. Prejudica a re eleição.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • M

    Maquiavel

    ± 3 dias

    Mais um imposto na bundda do brasileiro...

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • S

    Stanislau Surek

    ± 3 dias

    Bolsonaro é o governo do PT de novo!

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    1 Respostas
    • P

      PAULO 1950

      ± 3 dias

      O governo Bolsonaro é muito pior.

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • S

    Stanislau Surek

    ± 3 dias

    Quando é que agricultura vai começar a fazer a sua parte e pagar impostos?

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    2 Respostas
    • C

      Carmo Augusto Vicentini

      ± 2 dias

      Sua visão é tacanha. A agricultura não tem que pagar mais impostos. Todos têm que pagar menos!

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • G

      Gabriel Schneider

      ± 2 dias

      E desde de quando pagar imposto é bom? Se fosse bom não se chamaria IMPOSTO. Faça sua parte também, sonegue sempre!

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • S

    Stanislau Surek

    ± 3 dias

    Pronto, mais uma ideia genial para arrecadar para dar conta das isenções para igrejas. Em vez de baixarem impostos de quem é verde vai aumentar de quem não é.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • F

    Freitas

    ± 3 dias

    A desculpa de sempre: não vai elevar a carga tributária... rsss

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • C

    Celito Medeiros

    ± 3 dias

    Mais impostos? Não bastam os existentes? Ah, sei, a lei protegerá os 'apoiadores', sei... Vão se catar, seja quem for, o Povo não suporta mais tanas mentiras e enganações. Ah, querem fazer desta Pandemia um motivo para o Povo se entregar? Enganam-se, o Povo também tem inteligências fantásticas e Ética contra esta Moral, leis que não cumprem e se gabam de apresentarem tantas leis, que cretinos!

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]