Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
  • Ícone FelizÍcone InspiradoÍcone SurpresoÍcone IndiferenteÍcone TristeÍcone Indignado
Ideia do Choripan é da dupla João Scalzo, chef de cozinha, e Carlos Fracaro, bartender. | Marcelo Le/
Ideia do Choripan é da dupla João Scalzo, chef de cozinha, e Carlos Fracaro, bartender.| Foto: Marcelo Le/

A rede curitibana Choripan, pioneira no conceito do pão com chorizo, o que seria uma versão argentina do “cachorro-quente”, abriu para o modelo de franquias, com três opções de formato para o negócio. A marca, comandada pelo chef de cozinha João Scalzo e pelo bartender Carlos Fracaro, tem duas lojas em Curitiba, com espaço interno e externo, que é o seu modelo tradicional de restaurante. Isso porque a marca agora tem dois novos formatos: o Choripan Slim, com serviço de balcão, para shoppings, complexos gastronômicos, galerias, supermercados e conveniência, e o Chorimóvel, uma descolada kombi para estacionar em feiras, eventos gastronômicos e festas.

A primeira unidade do Choripan foi aberta em 2013 na Rua Tapajós, no bairro São Francisco, e a segunda em 2016 na Avenida Getúlio Vargas, no Água Verde, sendo esta 50% própria e 50% franqueada. Até o final do ano, ainda sem data definida, será aberta a terceira unidade do Choripan na capital paranaense, no mesmo formato das duas primeiras, dentro de uma minivila gastronômica, que será inaugurada na Rua Alberto Bolliger, no bairro Juvevê.

LEIA MAIS: Empresa paranaense cresce quase 80% em 3 anos fazendo algo que todas deveriam fazer

A quarta unidade está negociada e será um Chorimóvel. O projeto seguindo modelos dos foodtrucks é um resgate do que havia sido um plano abortado anteriormente para o Choripan, recorda Scalzo. Os sócios chegaram a comprar uma kombi, em 2016, mas estacionaram a ideia por considerarem uma moda passageira. “Com o negócio consolidado, recebemos muitos pedidos para estar em eventos, como opção pro lanche da madrugada, em fim de festa de casamento, assim como em rodeios.”

Com a expansão para franquia, chegou a hora de voltar a investir na ideia e de colocar a kombi para rodar. “Estamos com contrato pré-assinado e ela está sendo totalmente reformada, para ser inaugurada no segundo semestre”, conta.

Primeira unidade do Choripan, no Mercês.Marcelo Le

Choripan mira regiões centrais e cidades quentes

A marca deve chegar em breve a outros estados do país. Negociações estão avançadas com operadores de Bauru, no interior de São Paulo, e de Joinville, em Santa Catarina, que estão em fase de escolha do ponto, ambas em modelo Slim. “A preferência é expandir para regiões centrais do país e cidades com temperaturas mais elevadas, onde o público naturalmente faz um melhor aproveitamento dos espaços da cidade.”

Locais do interior do Paraná, como Maringá, Toledo e Cascavel são alvos, assim como municípios da região metropolitana de Curitiba, como Araucária, São José dos Pinhais e Pinhais, revela o empresário. “Elas são interessantes, pois estão crescendo muito e demandam cada vez mais por produtos de mais qualidade.”

Antes da definição pelo ingresso no modelo de franquias, o Choripan foi uma das 15 empresas paranaenses selecionadas pelo Sebrae, entre 500, para participar de um processo de consultoria, ao longo de 2016, em parceria com a Fecomércio e ABF – Associação Brasileira de Franchising. “Além do pioneirismo na exclusividade do produto, criamos o conceito de misturar arte com gastronomia, autoatendimento e uso do espaço público e quisemos replicar o modelo. Optamos pelo sistema de franquias, pois permite garantias para as duas partes.”

LEIA MAIS: Grupo Água Doce lança versão express e quiosque especializado em escondidinho

O Choripan tem um faturamento mensal de R$ 185 mil nas duas lojas e fechou o ano de 2017 com um volume de R$ 2.220 milhões em vendas. A estimativa é crescer cerca de 50% a cada ano, com a abertura de três a cinco lojas por período. “Temos apenas cinco anos de mercado. Nossa meta é crescer de forma gradativa, porém com calma, aperfeiçoando nosso modelo e nos consolidando com tranquilidade”, afirma Scalzo.

Linguiça artesanal tem receita exclusiva

A receita exclusiva das linguiças artesanais do Choripan, feitas com carnes nobres, foi desenvolvida pelos sócios da marca. O produto tem autorização do Ministério da Agricultura e está dentro dos critérios de qualidade exigidos pela Vigilância Sanitária. São produzidas cinco toneladas de linguiça artesanal ao ano para as atuais lojas, com selo da fabricante Defumados Ganchinho.

Cinco toneladas de linguiças artesanais são produzidas por ano para o Choripan.Marcelo Le

Toda a rede de fornecedores do Choripan é regional, com o conceito de empreendedorismo sustentável. “A empresa não somente artistas locais, responsáveis pelo design e conceito do projeto, como os produtores, para a seleção dos produtos frescos oferecidos nas unidades.”

Os sanduíche custam a partir de R$ 15. No pão baguete, o cliente escolhe entre oito sabores de linguiças. Acompanham molho chimichurri, repolho e vinagrete especial da casa. O cardápio traz ainda variações de pratos hispânicos, bem como opções vegetarianas, porções de empanadas e minichurros. Entre as bebidas, chopes e cervejas artesanais e cachaças autorais.

Valores da franquia

Investimento total: R$ 80 mil (Chorimóvel), R$ 120 mil (Slim) e R$ 250 mil (Restaurante).

Taxa de franquia: R$ 40 mil (valor será o mesmo para todos os modelos até o limite da quinta unidade. Variação das taxas conforme formato ainda são indefinidas).

Capital de giro: R$ R$ 15 mil a R$ 40 mil.

Royalties: 5% sobre o faturamento bruto.

Taxa de propaganda: 2% sobre o faturamento bruto.

Faturamento mensal: de R$ 40 mil (Chorimóvel), R$ 70 mil (Slim) e R$ 100 mil (Restaurante).

Lucratividade mensal: 18%

Prazo de retorno: 18 meses.

Prazo de contrato: 5 anos.

Área mínima: 15 m² (Slim) e 60 m² (Restaurante).

Localização: a partir de 150 mil habitantes.

Funcionários: a partir de três + um gestor.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros

Máximo de 700 caracteres [0]