i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Entrevista

Magistério, tecnologia e pandemia: a educação da Finlândia vista por uma professora brasileira

  • 24/12/2020 19:31
Helsinque, na Finlândia
Helsinque, na Finlândia| Foto: Pixabay

País referência em Educação, a Finlândia fechou escolas por apenas dois meses desde que a pandemia teve início mundo afora. O retorno às atividades presenciais veio com uma intimação da primeira-ministra do país: professores que fossem contra a decisão deveriam pedir demissão e não se apresentar mais ao posto.

É o que conta a brasileira Ayla Patrícia Huovi, hoje professora na Finlândia. Ela é mestre em Pedagogia e Educação pela Universidade de Helsinque. Ayla também é intérprete do governo e consultora educacional.

A professora explica que o retorno às aulas não se deu de forma escalonada. "Todos foram convocados a voltar à escola, menos alunos e professores que pertencessem ao grupo de risco", afirma.

Ayla concedeu entrevista por e-mail à Gazeta do Povo e falou sobre outros temas como o currículo educacional da Finlândia, tecnologias da comunicação e da informação e métodos de alfabetização. Leia a seguir:

Como você identificaria as principais diferenças entre a educação brasileira e a finlandesa? Em termos, por exemplo, de estrutura, currículo, materiais didáticos, quadro de docentes, etc.

Aqui seguimos um plano educacional, as escolas, com raras exceções, não seguem uma linha pedagógica. Educação não se mistura nem com política, nem com religião na Finlândia. O plano educacional deve sempre ser seguido independente do partido que esteja no poder, e ele não pode ser mudado. A cada 10 anos, ele sofre um “upgrade”, feito por cientistas educacionais e não por políticos.

Temos apenas cinco editoras que são responsáveis pelo nosso material didático e todo o material segue o currículo nacional. O ano letivo é menor, temos 190 dias letivos por ano. Esses, na minha opinião, são os principais pontos que diferenciam a educação finlandesa da brasileira.

Quais foram as bases da revolução educacional finlandesa?

Cidadania, autonomia e confiança. São até hoje. A Finlândia sempre foi um país pobre, que sofreu com inúmeras guerras e com uma baixa população, além de ter tido longos períodos de fome, crises econômicas pós-guerra. A revolução educacional começou na década de 60, com o slogan "não podemos perder mais ninguém”. O governo entendeu que a educação teria o papel de reerguer o país, por este motivo seriam formados cidadãos e não alunos. Para isso, contaríamos com os professores, que seriam escolhidos a dedo. Aos professores e alunos foram dadas autonomia e confiança.

Em sua perspectiva, enquanto educadora em um país referência em educação, o que seria necessário ao Brasil para galgarmos melhores patamares na área? Por que, em sua opinião, permanecemos nas últimas colocações em rankings como Pisa e não conseguimos alfabetizar alunos – mais da meta chegam ao terceiro ano sem saber ler e escrever? Onde erramos?

Selecionar o joio do trigo, formar professores que tenham competência e abracem a profissão como quem abraça um sacerdócio, uma missão. Somente as melhores universidades do país poderiam formar professores, todos deveriam ter mestrado e excelência na profissão.

Em meu mestrado, estudei a fundo a história educacional da Finlândia. Também trabalhei na secretaria de educação, onde tive acesso a diferentes líderes educacionais de diferentes países, como da Cingapura, por exemplo. Absolutamente todos os países começaram uma revolução na educação pelos professores.

É como na guerra: os melhores estrategistas lideram as tropas. Ou no pós-guerra: sem líderes, as cidades não se reconstruiriam, os professores são o começo, o meio e o fim de tudo - a chave mais importante do processo educacional. Somos nós, professores, que estamos novamente salvando o futuro do país nesta pandemia, por exemplo. Não são os prefeitos, governadores ou presidentes. Existem muitos professores sem qualificação sendo responsáveis por alunos no Brasil. Erramos aí e continuamos errando.

É possível reproduzir ou estender o modelo finlandês no Brasil?

Não é possível, pelo simples fato de que modelos educacionais dependem de fatores como clima, história e cultura. Cada país deve ser responsável pelo seu modelo. O que dá para ser feito e, na minha opinião, deve ser feito, é adaptar boas práticas.

Há interlocutores que afirmam que o magistério é a carreira mais popular entre os jovens. Isso é, mesmo, verdade? Você concorda?Que evidências práticas existem acerca disso?

Já foi. Hoje em dia não é mais. Porém, está entre as top 10 profissões mais desejadas e entre as cinco carreiras mais difíceis de serem alcançadas. A número 1 atualmente é a profissão de medicina veterinária. O processo seletivo para o magistério aqui inclui provas escritas, vocacionais e entrevistas.

A profissão se diferencia das outras áreas e, na Finlândia, para ser um professor alfabetizador, é preciso estudar, no mínimo, cinco anos (mestrado incluso). Já para ser professor no ensino especial, são necessários, no mínimo, seis anos de estudo. Não adianta, por exemplo, o aluno ter conseguido uma ótima nota no vestibular e ter conseguido a vaga se, na entrevista com a bancada da universidade, ele demonstrar que não tem o “fogo” necessário para ser um professor. Se isso ocorrer, a prova dele é anulada. É preciso ter notas e vocação.

Um dos pontos que diferencia a Finlândia de grande parte da comunidade internacional é a maneira como os testes/exames são vistos. Poderia nos explicar sua percepção com relação ao tema? Isso é, de fato, o país não aplica tanto testes, vê a ferramenta mais como mercadológica?

Temos testes, provas e vestibular. Acreditamos na importância e na necessidade deles como ferramenta de trabalho, mas não pensamos que no processo avaliativo eles sejam mais importantes do que a autoavaliação, por exemplo. Nas transições de níveis, as notas são importantes. As universidades e os ensinos médio especializados em alguma área exigem notas de corte e aplicam exames de entrada. Temos, além dos exames de entrada, entrevistas e, no caso de algumas profissões, experiência de trabalho ou voluntariado. É lenda urbana dizer que na Finlândia não se aplica testes, provas ou deveres de casa.

O nosso sistema avaliativo é, sim, invejável. Pois, como preparamos um cidadão e não apenas um aluno, é muito importante desenvolver as habilidades, além do conhecimento e, para isso, temos avaliações cognitivas, diagnósticas, comparativas, formativas, autoavaliação (sem aplicação de notas, um diferencial).

Poderia nos explicar, em linhas gerais, que evidências são adotadas no processo de alfabetização de crianças na Finlândia? Isso é, quais abordagens/métodos são utilizados?

O idioma finlandês não é o bicho de sete cabeças que se pinta por aí. Mas como possui muitas consonantes e vogais juntas, o método de alfabetização utilizado é o silábico, e isso não muda. A alfabetização começa aos 7 anos, no primeiro ano do ensino fundamental.

Até a pré-escola, a criança tem como "tarefa" brincar e aprender a respeitar ao máximo o próximo. A principal tarefa da professora, nessa etapa, é fazer com que a criança não "dê trabalho" para a professora de alfabetização. Obviamente, na creche, ela tem contato com letras, números e livros, e a introdução é totalmente lúdica, através de brincadeiras.

O aluno adquire seu primeiro caderno, por exemplo, aos 7 anos. Ninguém é obrigado a saber ler ou escrever aos 5 ou 6 anos, mas é obrigado a aprender pequenos atos de civilidade: calar quando o outro fala, dizer obrigado, fazer silêncio enquanto a professora explica etc.

Em geral, há consenso entre pesquisadores, educadores e outros interlocutores com relação às evidências científicas sobre o melhor caminho para se alfabetizar, por exemplo?

Para o idioma finlandês, sim. Pois é um idioma com muitas particularidades, mas cada professor alfabetizador escolhe a melhor forma de ensinar, temos essa liberdade. Já sabemos que o método silábico é o mais recomendado, embora não obrigatório, ao idioma finlandês. Os livros do primeiro ano já são impressos com a separação de sílabas.

O mais importante é que os professores, que têm total liberdade no ensino da alfabetização, sincronizem ou expliquem o método utilizado aos responsáveis, para não causar nenhum trauma de leitura na criança. A tarefa de alfabetizar é do professor e não dos responsáveis, que podem ajudar no processo, mas nunca atrapalhar.

Imagine o caos na cabeça de uma criança que aprende a ler de uma forma na escola e, em casa, o responsável fala "isso aí está errado, porque na minha época era assim, vem aqui que vou te ensinar de forma diferente”. Pronto, deu-se o caos!

A taxa de analfabetismo absoluto na Finlândia é de 0%. Por outro lado, há os analfabetos funcionais. A alfabetização do futuro chegou, não é ensinar a ler, mas como ler.

Qual a parcela de responsabilidade das chamadas Tecnologias da Informação e Comunicação (TICs) em sua perspectiva, no sucesso educacional finlandês? Há peso grande para isso?

A pandemia veio para nos mostrar que somente a tecnologia na educação é algo desastroso. Tudo em excesso é prejudicial. Imagine uma escola que adota 10 programas diferentes e todo professor deve, além de estudar, dar aulas, alimentar e utilizar esses programas? A síndrome de Burnout seria o resultado. Não acreditamos no ensino 100% online. Mas podemos pensar em 50%, sim. A tecnologia é necessária, mas deve ser enxuta e prática.

Como a meritocracia é vista na educação da Finlândia? Há espaço para isso?

Nossa primeira-ministra é uma jovem de 35 anos que nunca teve contato com o pai, pois foi abandonada por ele e criada e educada pela mãe lésbica e sua companheira. Ela veio de uma família pobre e trabalhou como caixa de supermercado. Em 1921, quando se estabeleceu que a educação "salvaria o futuro da Finlândia", o ensino privado passou a ser gratuito e obrigatório, mas, ainda assim, o nível educacional do país era baixo. Somente em 1943, quando o governo passou a fornecer comida nas escolas, o número de alunos aumentou.

O governo adotou o Estado de Bem-Estar Social e, desde então, a meta foi fornecer educação gratuita, de qualidade e com igualdade para todos. Mesmo assim vemos desigualdade social na Finlândia. Embora não seja gritante como no Brasil, ela existe. Atribuir a meritocracia a um Estado de Bem-Estar Social é utopia.

É inegável que os diretores-executivos de grandes empresas são escolhidos de forma meritocrática e não democrática, ao contrário dos políticos. Existe sim meritocracia na educação. Quando premiamos os melhores professores do ano, as melhores ideias, isso é meritocracia. Fazemos isso aqui, sim.

Em quanto tempo de pandemia se deu a reabertura das escolas na Finlândia e como foi esse processo? Volta escalonada? Protocolos de segurança rígidos?

A Finlândia fechou escolas por dois meses. Nesse tempo, o número de denúncias de violência e abusos aumentaram. Foi um caos. Todos estavam com medo do desconhecido e sem saber como enfrentar a pandemia, mas sabíamos que se professores ficassem estressados, e os alunos sofressem com problemas físicos e mentais, isso não ajudaria em nada o futuro do país.

Novamente, lembramos do slogan do pós-guerra "não podemos perder ninguém”. Imediatamente, a primeira-ministra decretou a reabertura das escolas e afirmou que os professores que fossem contra a decisão deveriam pedir demissão e não se apresentar ao seu posto.

O retorno às aulas não foi escalonado. Todos foram convocados a voltar à escola, menos alunos e professores que pertencessem ao grupo de risco. Protocolos de segurança foram adotados tanto para a escola quanto para as família. Afinal, de que adiantaria a escola ter protocolos e a família não obedecê-lo ou cumpri-lo? A responsabilidade e os cuidados deveriam ser divididos.

Que tipo de prejuízos - cognitivos, sociais - decorrentes do fechamento de escolas/paralisação de atividades acometeram os alunos da Finlândia?

Em uma pesquisa realizada logo após a reabertura das escolas, 90% dos alunos responderam que não assimilaram o conteúdo e perderam a motivação nos estudos, 50% desenvolveram sintomas de ansiedade e apenas 10% tiveram o apoio de um adulto ou responsável. E 40% ganharam peso. Em resumo, com apenas 60 dias de ensino 100% a distância, houve registro de depressão, ansiedade, obesidade, desmotivação e violência doméstica.

Com relação aos alunos que ficaram conectados sem supervisão, o acesso a jogos e à pornografia aumentou. Muitos professores, além disso, desistiram da profissão e pediram demissão. Houve excesso de atestado para afastamento por Síndrome de Burnout. Uma das principais coisas que aprendemos em 60 dias de aulas 100% online foi que esse sistema jamais será adotado na Finlândia. Na segunda onda, várias restrições foram impostas pelo governo, menos o fechamento das escolas. A melhor coisa na educação da Finlândia é poder prever o futuro. Por exemplo, em setembro foi dado um curso de“ Monitoramento, tutoria e motivação de alunos”, de duração de três meses e gratuito para os professores, pois através de pesquisas prevemos um número X de alunos que não dariam continuidade aos estudos após o ensino fundamental.

E nós, professores, seremos responsáveis por evitar essa evasão escolar antes que ela aconteça, para isso, estamos sendo aperfeiçoados. Não vamos esperar perder futuros pintores, enfermeiros, engenheiros, médicos, advogados, professores, construtores civis, etc. Vamos agir agora. Este é um curso que eu pretendo traduzir para o português e aplicar no Brasil, Afinal, boas práticas devem ser compartilhadas.

O país também se utiliza do ensino híbrido, certo? Como é isso, na prática?

Há 15 anos o ensino híbrido é utilizado na Finlândia. Me debrucei sobre o tema em minha tese no mestrado, em 2016. Se engana quem pensa que o simples fato de ter um computador em sala de aula caracteriza um ensino híbrido.

O ensino híbrido tem a ver com interação. Por exemplo, em uma aula sobre plantas, o aluno deve levar um celular a um jardim, floresta ou campo e tirar fotos de uma planta, colocar a imagem em algum aplicativo que lhe dará informações como espécie e, mais tarde, apresentar um projeto sobre o tema. Dentro deste processo, o aluno tem que ter noções de crítica, trabalho em grupo e conteúdo.

33 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 33 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.

  • W

    Wellington Albuquerque

    ± 0 minutos

    Agora sim, por motivos bem diferentes dos do Sr. Roger Waters, é hora de cantar: "Hey, teachers, leave us kids alone!"

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • W

      Wellington Albuquerque

      ± 1 minutos

      Qual é a relevância do seguinte trecho nesta entrevista: "Nossa primeira-ministra é uma jovem de 35 anos que nunca teve contato com o pai, pois foi abandonada por ele e criada e educada pela mãe lésbica e sua companheira. Ela veio de uma família pobre e trabalhou como caixa de supermercado"? Porque será que cada vez mais educadores têm que inserir suas agendas, às vezes encobertas, às vezes não, nos filhos dos outros? Há um comitè de ètica para verificar se nossas crianças devem ser cobaias de ideias não testadas do "sistema educacional" e seus burocratas, e pior, de seus subintelectuais exorbitantes?

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

      • R

        Rildo José Monte Borges

        02/01/2021 22:16:58

        Apesar do sucesso consagrado Nao vi nenhuma associação de professores citar o modelo adotado na finlandia ou sugerindo algo relacionado na questão da pandemia do covid19. O Presidente foi chamado de genocida por pedir volta as aulas e ninguem se manifestou sobre o caso da Finlândia. Por que será? Muito triste nosso sistema educacuonal a comecar pelos professores. Espero que o atual governo consiga reverter este quadro.

        Denunciar abuso

        A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

        Qual é o problema nesse comentário?

        Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

        Confira os Termos de Uso

        • J

          Jair da Silva Santos

          26/12/2020 13:49:43

          Como compartilhar essa notícia num grupo de whatsapp? Alguém me ajuda?

          Denunciar abuso

          A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

          Qual é o problema nesse comentário?

          Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

          Confira os Termos de Uso

          • K

            Klin

            26/12/2020 12:51:38

            Excelente explicações das diferenças entre cá e lá. O Maior problema do lado de cá é que a educações é gerida e comandada por políticas ideológicas . Jamais chegaremos a lugar algum com estas filosofias desastradas.

            Denunciar abuso

            A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

            Qual é o problema nesse comentário?

            Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

            Confira os Termos de Uso

            • J

              Juliane

              26/12/2020 12:05:49

              Excelente entrevista e com quebra de muitas falácias a respeito da educação finlandesa. Parabéns a Ayla.

              Denunciar abuso

              A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

              Qual é o problema nesse comentário?

              Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

              Confira os Termos de Uso

              • E

                Eduardo Rubinstein

                26/12/2020 0:15:55

                Primeira ministra de 35 anos? Filha de lésbica?

                Denunciar abuso

                A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                Qual é o problema nesse comentário?

                Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                Confira os Termos de Uso

                • R

                  Rafael Garcia

                  25/12/2020 23:56:33

                  Por favor gazeta continue com as matérias de qualidade como essa, pois esse é um dos poucos jornais que tem qualidade no país.

                  Denunciar abuso

                  A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                  Qual é o problema nesse comentário?

                  Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                  Confira os Termos de Uso

                  • M

                    Maria das Graças Sousa Guimarães

                    25/12/2020 20:42:40

                    O Secretário de Alfabetização do MEC, Carlos Nadalim, está realizando um trabalho excelente e já tem programas implementados como o Conta pra Mim e o Tempo de Aprender, o Programa de capacitação de professores ABC-Alfabetização Baseada na Ciência, o Grapho Game aplicativo educativo (adaptado da Finlândia), entre outros excelentes trabalhos! Com a adesão de quase 4 mil municípios e dezenas de milhares de pais. Tudo gratuito no site do MEC, para baixar, imprimir, ver vídeos!

                    Denunciar abuso

                    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                    Qual é o problema nesse comentário?

                    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                    Confira os Termos de Uso

                    • F

                      Fernando Colli

                      25/12/2020 19:53:11

                      Na Finlândia: Não podemos perder mais ninguém No Brasil: Perdemos quase todos e NINGUÉM se importa

                      Denunciar abuso

                      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                      Qual é o problema nesse comentário?

                      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                      Confira os Termos de Uso

                      1 Respostas
                      • R

                        Rubens Farias

                        25/12/2020 21:03:59

                        Não só perdemos e ninguém se importa como o presidente e seus acéfalos seguidores tripudiar das mortes.

                        Denunciar abuso

                        A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                        Qual é o problema nesse comentário?

                        Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                        Confira os Termos de Uso

                    • pradojoseeduardo@gmail.com

                      25/12/2020 18:41:29

                      No Brasil nem adianta tentar impor método educacional para o país todo, logo vai aparecer um político de um estado qualquer pedindo ao presidente STF uma liminar para que derrube tudo e obrigue o vereador Jair Bolsonaro a cumprir a determinação de cada prefeito das cidades dos respectivos estados, aí o resultado é o bando de mulas que temos Brasil a fora.

                      Denunciar abuso

                      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                      Qual é o problema nesse comentário?

                      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                      Confira os Termos de Uso

                      • A

                        Andre Maruch

                        25/12/2020 16:15:17

                        Entrevista excelente, parabéns.

                        Denunciar abuso

                        A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                        Qual é o problema nesse comentário?

                        Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                        Confira os Termos de Uso

                        • E

                          EDUARDO SABEDOTTI BREDA

                          25/12/2020 16:10:38

                          Interessante notar que não foi dado aos professores se indisporem contra o retorno às aulas. O Estado é do Bem-Estar Social mas nao há espaço para o professor se rebelar contra as decisões que tocam a todos. Fácil entender por que na Finlândia o ensino funciona. Aqui no Paraná temos a tal da APP Sindicato ditando como a educação deve acontecer. Os resultados medíocres do ensino público do Paraná se explicam.

                          Denunciar abuso

                          A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                          Qual é o problema nesse comentário?

                          Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                          Confira os Termos de Uso

                          2 Respostas
                          • E

                            EDUARDO SABEDOTTI BREDA

                            25/12/2020 20:53:51

                            O que riqueza e quantidade de habitantes tem a ver com o fato de que a Finlândia não deu aos professores o direito de contestar o retorno às aulas? É disso que falei.

                            Denunciar abuso

                            A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                            Qual é o problema nesse comentário?

                            Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                            Confira os Termos de Uso

                          • R

                            Rubens Farias

                            25/12/2020 17:21:06

                            Não queira comparar, o Paraná é muito mais pobre do que a Finlândia ( embora ainda alguns bobões achem que aqui é primeiro mundo) e tem o dobro da população da Finlândia. Os professores são muito valorizados ,em media um professor de primeiro ganha 3200 euros (18500 reais), tem alta tecnologia ao dispor em sala de aula, salas com poucos alunos.

                            Denunciar abuso

                            A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                            Qual é o problema nesse comentário?

                            Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                            Confira os Termos de Uso

                        • F

                          Fernando Cavalcante

                          25/12/2020 15:27:20

                          Segundo ela “com apenas 60 dias de ensino 100% a distância, houve registro de depressão, ansiedade, obesidade, desmotivação e violência doméstica.” Conclusão tola. Impossível ignorar que os problemas descritos foram provocados não pelo ensino à distância, mas pelo clima de medo e pânico disseminado pela mídia, bem como pelo sentimento de insegurança frente a um futuro incerto dos pais.

                          Denunciar abuso

                          A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                          Qual é o problema nesse comentário?

                          Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                          Confira os Termos de Uso

                          2 Respostas
                          • R

                            Rubens Farias

                            25/12/2020 21:11:18

                            Incrível como ma fe é algo difícil de combater. Você tira a seu Belo prazer uma frase do contexto e a usa como verdade absoluta. A Finlândia é um dos países mais desenvolvidos tecnologicamente do mundo, mas o povo vive sob um clima terrível, em alguns lugares 10 meses do ano são abaixo de zero às vezes com 30 graus abaixo. A depressão é uma doença crônica nesses lugares.

                            Denunciar abuso

                            A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                            Qual é o problema nesse comentário?

                            Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                            Confira os Termos de Uso

                          • D

                            Dilbert

                            25/12/2020 16:28:49

                            Parece negacionismo seu. E é. Triste saber que por conceitos como esse é que não vamos longe.

                            Denunciar abuso

                            A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                            Qual é o problema nesse comentário?

                            Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                            Confira os Termos de Uso

                        • F

                          Fernando Cavalcante

                          25/12/2020 15:23:06

                          Ideologias rasteiras, como a aplicada no Brasil nos últimos 30 anos, nos levaram ao estágio em que nos encontramos.

                          Denunciar abuso

                          A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                          Qual é o problema nesse comentário?

                          Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                          Confira os Termos de Uso

                          1 Respostas
                          • D

                            Dilbert

                            25/12/2020 16:27:33

                            Parece preconceito seu. E é. Triste não perceber que assim não vamos longe.

                            Denunciar abuso

                            A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                            Qual é o problema nesse comentário?

                            Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                            Confira os Termos de Uso

                        • D

                          Dilbert

                          25/12/2020 15:15:46

                          Excelente entrevista, que nos gera muita reflexão. Há muito o que fazer aqui e ainda estamos presos à ideologias rasteiras que no final das contas não se importam com as crianças.

                          Denunciar abuso

                          A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                          Qual é o problema nesse comentário?

                          Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                          Confira os Termos de Uso

                          • F

                            Fernando Cavalcante

                            25/12/2020 15:11:22

                            Ela parece ter orgulho da primeira-ministra que “nunca teve contato com o pai, pois foi abandonada por ele e criada e educada pela mãe lésbica e sua companheira.” Ora, provavelmente a mãe lésbica apenas contratou um homem para engravidar, e depois difamou a masculinidade, tecendo um conhecido discurso de ódio para a filha.

                            Denunciar abuso

                            A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                            Qual é o problema nesse comentário?

                            Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                            Confira os Termos de Uso

                            2 Respostas
                            • A

                              Avlis Sotnas

                              26/12/2020 1:05:13

                              opa, um ser onisciente que sabe como foi a vida da primeira-ministra da Finlândia. quase nada de preconceito e misoginia.

                              Denunciar abuso

                              A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                              Qual é o problema nesse comentário?

                              Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                              Confira os Termos de Uso

                            • D

                              Dilbert

                              25/12/2020 16:25:59

                              Parece preconceito seu. E é.

                              Denunciar abuso

                              A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                              Qual é o problema nesse comentário?

                              Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                              Confira os Termos de Uso

                          • B

                            Bruno Santos Teles

                            25/12/2020 13:42:17

                            Eu achei que ela ia dizer que a educação na Finlândia é freiriana, libertadora, política, que o papel do professor é fazer greve e tirar férias, além de se aposentar antes. Sqn!

                            Denunciar abuso

                            A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                            Qual é o problema nesse comentário?

                            Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                            Confira os Termos de Uso

                            • H

                              Humberto B

                              25/12/2020 13:03:27

                              Ë mudar o foco para os ensino fundamental, bem feito, até com menor carga horária e conteudista. E mais civilidade, cuidado e ensono de respeito e educação. Ótimo ponto para refletir. E a Finlândia sempre foi top 10.

                              Denunciar abuso

                              A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                              Qual é o problema nesse comentário?

                              Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                              Confira os Termos de Uso

                              • W

                                wilmar scoz

                                25/12/2020 11:13:04

                                Existe uma contradição na entrevista. Todo a educação nos primeiros anos, não funcionou durante a pandemia. Quando está tudo bem, quando é para receber turistas, os quais trazem dividendos aos país, aí funciona. Na situação de adversidade, da pandemia, foi o teste que prova que no fim não difere de outros países. Não dá para usar a Finlândia como referência. É ilusão. Professores ajudam, mas não salvam o mundo.

                                Denunciar abuso

                                A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                                Qual é o problema nesse comentário?

                                Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                                Confira os Termos de Uso

                                • F

                                  Fabio Serra Barbosa da Silva

                                  25/12/2020 2:54:34

                                  Muito boa a entrevista

                                  Denunciar abuso

                                  A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                                  Qual é o problema nesse comentário?

                                  Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                                  Confira os Termos de Uso

                                  • D

                                    DENISSON HONORIO DA SILVA

                                    25/12/2020 2:31:10

                                    Sem palavras para descrever a entrevista da Isabelle. Concordo em parte com as diferenças culturais da Finlândia com o Brasil. Mas não introduzimos o construtivismo e Piaget, uma coisa alienígena do nosso contexto acadêmico e cultural? As loas à educação finlandesa que outros órgãos de imprensa colocavam-nos não era bem essa, onde tudo se devia a recursos, mas sim era a formação acadêmica rígida, sem modismos e meritocracia ainda que relativa. Uma vez li Anísio Teixeira sobre a formação das universidades públicas. Dizia ele que beneficiava apenas os filhos de donos de engenho falidos. Ótimo, então criamos um monstro. Pois se criou casta de hipócritas, que desde CF/88 nada melhora.

                                    Denunciar abuso

                                    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                                    Qual é o problema nesse comentário?

                                    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                                    Confira os Termos de Uso

                                    • C

                                      Celito Medeiros

                                      24/12/2020 22:53:34

                                      A Finlândia é Fantástica, sem medo de ser feliz. No entanto sua vida própria só está no auge no verão, onde os turistas amam a ilha, sua cultura, seus artesanatos incomparáveis. Educação de alto nível e o saber em receber turistas dentro de suas normas, além do continente. Um espetáculo, talvez dos melhores do Planeta.

                                      Denunciar abuso

                                      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                                      Qual é o problema nesse comentário?

                                      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                                      Confira os Termos de Uso

                                      2 Respostas
                                      • M

                                        Mello

                                        25/12/2020 21:14:55

                                        Sou do Acre, casado com uma gaúcha e um casal de filhos gaúchos. A filha é pesquisadora na Universidade de Kuopio e daí ter 4 netos finlandeses. A entrevista da professora expressa a realidade histórica da educação naquele país. Apenas este ano, devido a pandemia, não pude estar lá para acompanhar de perto o desenvolvimento deles via o sistema de ensino vigente pois fico lá durante o tempo que a legislação permite. Repito: é real o descrito e complemento com a informação de que, paralelamente, o governo oferece um serviço de psicologia para uso imediato quando necessário envolvendo os pais ou responsáveis. Outra: o ensino é gratuito até a Universidade.

                                        Denunciar abuso

                                        A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                                        Qual é o problema nesse comentário?

                                        Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                                        Confira os Termos de Uso

                                      • M

                                        Mello

                                        25/12/2020 21:14:55

                                        Sou do Acre, casado com uma gaúcha e um casal de filhos gaúchos. A filha é pesquisadora na Universidade de Kuopio e daí ter 4 netos finlandeses. A entrevista da professora expressa a realidade histórica da educação naquele país. Apenas este ano, devido a pandemia, não pude estar lá para acompanhar de perto o desenvolvimento deles via o sistema de ensino vigente pois fico lá durante o tempo que a legislação permite. Repito: é real o descrito e complemento com a informação de que, paralelamente, o governo oferece um serviço de psicologia para uso imediato quando necessário envolvendo os pais ou responsáveis. Outra: o ensino é gratuito até a Universidade.

                                        Denunciar abuso

                                        A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                                        Qual é o problema nesse comentário?

                                        Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                                        Confira os Termos de Uso

                                    Fim dos comentários.