O Atlético havia impressionado a torcida nas vitórias em casa, contra Palmeiras e Paraná. Pura ilusão. Para os que já sonhavam até com uma remota chance de chegar à Libertadores, o jogo de ontem, contra o Náutico, no Recife, avisou o que resta ao Furacão em 2007: fugir da Segunda Divisão.

A goleada por 5 a 0 fez o time de Ney Franco descer duas posições na tabela (do 11.º para o 13.º lugar). A distância para a faixa da degola segue de dois pontos (35 contra 33 do Coritnthians) e pode diminuir ainda mais com os resultados de hoje.

Nunca o nome de um estádio – Aflitos – explicou tanto o desempenho de um time em campo. O Rubro-Negro entrou dormindo na partida. Quando acordou, tinha levado três gols. Os donos da casa pareciam se multiplicar no gramado. Já o Furacão, todo de preto, transparecia uma incomum apatia.

Rogério Corrêa, Danilo e Antônio Carlos formavam um confuso trio de zagueiros, enquanto o garoto Rhodolfo, titular incontestável até outro dia, estava no banco. Alan Bahia e Claiton só corriam atrás dos adversários e a criatividade, responsabilidade de Ramón, não existia.

O pesadelo começou logo aos 3 minutos. Ninguém marcou Felipe, que cruzou rasteiro da esquerda para Marcelinho marcar. Aos 20, o uruguaio Acosta aproveitou cobrança de falta na área e tocou para o gol. Por fim, aos 31, Felipe recebeu passe no meio da estática zaga atleticana e ampliou.

Envolvido pelo experiente Geraldo (aquele mesmo dispensado pelo Coritiba, em maio), o Atlético nem de longe lembrou a equipe determinada que havia vencido quatro dos últimos compromissos no Nacional.

Pelo menos no segundo tempo, graças à diminuição de ritmo dos pernambucanos, o goleiro Viáfara "só" tomou dois gols. No meio da preguiça que tomou conta dos jogadores, Felipe, sozinho mais uma vez, aumentou a vergonha, aos 34 minutos.

A péssima atuação do Atlético só poderia acabar com o vexatório grito de "olé", enquanto o Timbu tocava a bola. Só que o desastre ainda teve um toque final. Djair, aos 45, acabou com o sofrimento dos atleticanos: 5 a 0.

No Recife

Náutico 5 x 0 Atlético

Náutico

Fabiano; Sidny (Onildo), Vágner, Everaldo e Júlio César; Daniel Paulista, Radamés, Geraldo (Djair) e Acosta (Marcelo Silva); Marcelinho e Felipe. Técnico: Roberto Fernandes

Atlético

Viáfara; Danilo, Rogério Corrêa (Roberto) e Antônio Carlos; Jancarlos, Alan Bahia, Claiton, Ramon (Geílson) e Piauí (Michel); Ferreira e Marcelo Ramos. Técnico: Ney Franco.

Estádio: Aflitos. Árbitro: João Alberto Gomes Duarte (RN). Gols: Marcelinho (N) aos 3/1.º, Acosta (N) aos 20/1.º, Felipe (N) aos 31/1.º e aos 34/2.º e Djair aos 45/2.º. Amarelos: Geraldo, Júlio César, Radamés e Sidny (N); Piauí e Antônio Carlos (A).

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]