Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Abel Braga faz várias mudanças no Internacional | Albari Rosa / Gazeta do Povo
Abel Braga faz várias mudanças no Internacional| Foto: Albari Rosa / Gazeta do Povo

Repercussão

"Eu falei antes do jogo que íamos ser roubados. Eu falei que era estranho vir um carioca apitar um jogo aqui no Sul, com o Flamengo estando para cair. Tá armado tudo isso. Isso é uma sacanagem".

Alberto Maculan "solta os cachorros" na arbitragem

"Tenho que achar um adjetivo, mas vou acabar sendo punido. Só jogador e treinador que são punidos, árbitro não. Ele tem que ser execrado do futebol".

Técnico do Atlético critica arbitragem e já começa a pensar no Santos

Um grave erro da arbitragem tirou do Atlético a chance de conquistar um importante ponto na partida deste sábado, diante do Internacional, em Porto Alegre. Tendo que se desdobrar para desenvolver o futebol em um campo encharcado e sob muita chuva, as duas equipes proporcionaram um jogo feio e coube ao Furacão o direito de reclamar contra a atuação do árbitro Luiz Antônio Silva Santos.

Os dois lance mais polêmicos da partida poderiam ser resumidos da seguinte maneira: um gol dado ao Inter e outro tirado do Atlético. No lance que originou o pênalti para os gaúchos, a falta cometida por Erandir em Jonas aconteceu pelo menos um metro longe da área. Pouco depois, Pedro Oldoni pegou uma sobra e ficou cara-a-cara com o goleiro adversário dentro da área do Inter. O árbitro parou o lance e deu uma falta ao Furacão, ignorando a "lei da vantagem" no futebol.

Em relação ao jogo, toda e qualquer possibilidade de se ver um bom futebol, com toques de qualidade e bolas trabalhadas, foi literalmente por água abaixo. As fortes chuvas que caíram na cidade de Porto Alegre extinguiram qualquer chance das duas equipes mostrarem habilidade e, por conseqüência, o primeiro tempo – bem como o restante da partida – foi marcado por chutões e bolas alçadas.

O jogo

As primeiras chances de gol aconteceram para os anfitriões. Rubens Cardoso recebeu a bola de costas para o gol aos 4 minutos, fez o giro e chutou rasteiro, bem próximo ao gol de Viáfara. O Atlético tentou responder aos 8 minutos, mas a cobrança de falta ensaiada terminou em um chute para longe, sem direção. A principal oportunidade para o Furacão aconteceu aos 16 minutos. Ferreira cruzou e Marcelo tentou o domínio, mas Índio se antecipou e cortou.

Depois dessas chances, o Atlético sumiu em campo e só voltou a ter destaque em uma jogada bizarra proporcionada pelo goleiro Viáfara. Antes desse lances, o Inter chegou com perigo por duas vezes: uma com Adriano aos 19 minutos, que resultou em defesa de Viáfara, e outra logo em seguida, quando Alex ajeitou e Iarley chutou com muito perigo, bem próximo ao gol do camisa 1 atleticano.

Aos 29 minutos o goleiro do Atlético foi surpreendido quando Alex bateu na bola e ela quicou no gramado, encobrindo Viáfara. Antes da chegada de Cristian, que aparecia sozinho para tocar nas redes, Rodolpho surgiu para tirar para escanteio. Na cobrança do tiro de canto, o goleiro colombiano subiu sozinho e só precisava encaixar, mas não conseguiu e quase entregou o ouro para o adversário. Aos 47 minutos Alex cobrou falta com perigo e quase marcou para o Colorado.

O zagueiro Danilo, como não poderia deixar de ser, reclamou das condições do gramado. "A gente está com um pouco de dificuldade de tocar a bola, mas eles também. Nós criamos uma oportunidade e quase fizemos e vamos continuar assim, marcando bem e tentar o gol no contra-ataque. Claiton teve opinião semelhante. "É muito difícil. Temos que jogar na base da bola longa e isso nos cria dificuldade. Temos que ir na pegada para podermos conquistar um resultado positivo".

Segundo tempo

Para a segunda etapa as duas equipes voltaram com a mesma formação. Nos 45 minutos finais, as condições do gramado continuaram as mesmas e o futebol seguiu feio até o final.

O Inter pressionava e por volta dos 6 minutos teve três tentativas de acertar o gol atleticano, mas os chutes saíram fracos e não resultaram em gol. O maior volume de jogo do Colorado se transformou em uma grande defesa do goleiro Viáfara. Cristian chutou de muito longe e o camisa 1 do Furacão espalmou para longe, evitando o gol dos anfitriões. O goleiro atleticano se redimiu e fez um grande 2.º tempo.

Ainda em cima do adversário, Alex arrisca de longe e Viáfara rebate. Por sorte, Wellington Monteiro não teve tranqüilidade para marcar e de cara para o gol chutou fora. Aos 15 minutos Rodolpho cometeu falta dura em carrinho e acabou expulso pelo árbitro da partida, o que trouxe o Inter ainda mais para cima. Aos 26, Adriano deu um drible desconcertante em Danilo e cruzou. Cristian escorou de cabeça e Rubens Cardoso perdeu embaixo nas traves.

Quando o jogo se encaminhava para um empate justo, já que nenhum das equipe realmente mereceu sucesso neste sábado, o lance capital da partida. Jonas, do Inter, tentou o arremate e foi puxado em falta por Erandir. Falta para os anfitriões. O problema é que o árbitro Luiz Antonio Silva Santos marcou penalidade, mas a infração aconteceu pelo menos 1 metro longe e fora da área. Os jogadores do Atlético foram à loucura e contestaram a marcação, mas a falta máxima foi marcada.

Depois do gol de Alex, aos 44 minutos, o árbitro voltou a roubar a cena. Já nos acréscimos Alan Bahia foi derrubado pela marcação e a bola sobrou para Pedro Oldoni, livre na área do Inter e pronto para empatar o jogo. Sem considerar a chamada "lei da vantagem", o árbitro parou a jogada e marcou a falta no lance anterior, impedindo que o Atlético empatasse a partida. Decepção atleticana no Beira-Rio.

Confira a ficha técnica do jogo e os lances de Inter x Atlético

Veja os resultados da rodada e os próximos jogos do Brasileirão

Acompanhe como ficou a classificação do campeonato

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]