Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...

O Paraná era o favorito, disso ninguém discordava. Não pela goleada da semana passada, quando Dejan Petkovic teve a infeliz ideia de escalar um time reserva do reserva para levar show no clássico. Mas por ser uma equipe mais equilibrada, que passou por alguns sobressaltos no início da campanha e se ajeitou, à medida que o técnico Milton Mendes conseguia ajustar a equipe conforme seus conceitos.

E ontem, como visitante, o Paraná fez o serviço, ganhando a vantagem do empate para decidir a vaga em casa, no próximo fim de semana. Com méritos, por saber conduzir o bom ritmo da partida, mesmo que desta vez o treinador rubro-negro tenha colocado em campo o melhor do que tem à disposição – o que foi insuficiente para se impor, por mais que estivesse jogando em casa.

O Atlético só cresceu um pouco e igualou as ações quando chegou ao gol de empate, mas logo em seguida o comando foi devolvido aos tricolores, especialmente pelas ótimas atuações de Elton e Fernando Gabriel, que conduziram todas as jogadas do time paranista.

A decisão ainda está em aberto, claro. Num confronto desses não há prognóstico antecipado que se possa cravar. Mas que o Paraná está chancelando seu favoritismo, isso está.

Viajantes bem sucedidos

E nessa primeira rodada do mata-mata, a exemplo do que houve no clássico, quem viajou para fazer a primeira partida fora de casa se deu bem. Começou no sábado, com os expressivos triunfos de Londrina e Maringá sobre Malucelli e Prudentópolis, respectivamente. E fechou ontem, com a boa vitória do Coritiba em Paranaguá.

Vitória importante, pois o Rio Branco vinha de ótima campanha em casa e não foi adversário de se entregar fácil, equilibrando as ações em campo e mantendo acesas as chances de desmanchar a diferença obtida pelos visitantes. Só que havia uma diferença a favor do Coxa, Alex.

Ele mal havia tocado na bola nos primeiros 20 minutos de partida. Até comentamos o fato na transmissão que fazíamos pela RPC. E o Gil Rocha me dizia: "mas ele é especial, pode fazer a diferença a qualquer momento". Pois exatamente no lance seguinte Alex empatou de cabeça, no sutil desvio da bola, fora do alcance do goleiro. E no segundo tempo, quando o Rio Branco tentava equilibrar as coisas, provocou a falta que ele mesmo cobrou e fechou o marcador de vantagem alviverde fora de casa.

A partida não foi das melhores. Muito amarrada e prejudicada pelo forte calor do litoral paranaense. Mas o Coritiba fez o suficiente para assegurar boa vantagem para o jogo de volta, quando seu favoritismo deve ser evidenciado para chegar à semifinal do campeonato. Pelo que se desenha, para enfrentar o Maringá, por quem foi derrotado na rodada inicial da competição.

Dê sua opinião

O que você achou da coluna de hoje? Deixe seu comentário e participe do debate.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]