Acompanhar a edição 2009 da Volta da França é programa diário para Mauro Ribeiro. Pela tevê, o técnico da seleção brasileira de estrada acompanha a disputa entre o espanhol Alberto Contador, a quem define como o melhor ciclista do momento, e o norte-americano Lance Armstrong, quem chama de uma espécie de Einstein ou Picasso das pedaladas.

"O (espanhol Alberto) Contador tem toda a condição de vencer a prova, é o melhor fisicamente. Mas o Lance Armstrong tem uma determinação fora do comum. É um Einstein, um Picasso, uma raça de atleta que só aparece de 100 em 100 anos, quando aparece", compara.

Ribeiro considera que as nove etapas disputadas até aqui não servem de parâmetro para definir quem vencerá a prova. Segundo ele, o italiano Rinaldo Nocentini, atual líder, não se manterá na disputa por muito tempo. O que irá definir o vencedor será o contrarrelógio individual, a 18ª etapa, dia 23 de julho, em Annecy.

"A coisa começa a ficar mais séria daqui a uns cinco dias e fica mais séria ainda na última semana. Se o Armstrong vencer o contrarrelógio, só perde o título para ele mesmo. Há uma hierarquia dentro das equipes que subordina quem perde o contrarrelógio ao companheiro que vence", explica.

Hoje será disputada a 10ª etapa, um percurso de 194,5 km entre Limoges e Issoudun. Por causa dos 18 anos da sua vitória na Bretanha, Ribeiro foi convidado para comentar o estágio desta terça-feira no canal ESPN. (LMJ)

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]