Ricardo Drubscky diz que o time precisa aproveitar melhor as chances de gol que tem criado | Antonio More/ Gazeta do Povo
Ricardo Drubscky diz que o time precisa aproveitar melhor as chances de gol que tem criado| Foto: Antonio More/ Gazeta do Povo

Balanço

Parceria com o Atlético faz Paranaguá lucrar e clube lamentar prejuízos

Lamentação de um lado, empolgação do outro. Esse é o saldo da passagem do Atlético por Paranaguá. Após as nove partidas no Gigante do Itiberê, o Furacão deixa o Litoral decepcionado. Foram quatro vitórias, três empates e duas derrotas, com aproveitamento de 55%. Além disso, a média de público de apenas 2.419 torcedores – com renda média de R$ 41 mil por partida – deixou a desejar.

Já a cidade festejou seu tempo como lar provisório do Furacão. "Foi muito positivo: hotéis e restauran­­tes, por exemplo, tiveram um aumento no lucro", disse Walmir Marquinhos, presidente da Fundação Municipal de Esportes de Paranaguá. Segundo ele, a cidade não teve incidentes. "As ruas do Centro Histórico são mais estreitas e teve um certo tumulto, mas a polícia resolveu sem problemas." Segundo Marquinhos, o Caranguejão pode receber jogos noturnos do Atlético, já que a nova casa, o Ecoestádio, não tem iluminação.

Ricardo Drubscky cobrou ontem os jogadores do Atlético pelo fraco desempenho ofensivo nos jogos. Sob o comando recente do treinador, o time tem sete gols em cinco confrontos – aproveitamento que não satisfaz, segundo ele, pela falta de objetividade do time.

"Estamos pecando no quesito finalização. Não é só chutar no gol e sim ter aquela contundência ofensiva", declarou o comandante após o treino de ontem à tarde no CT do Caju.

Segundo levantamento do site Terra, o time é o 12.º que mais arremata na Segundona, com 14 tentativas por jogo em média – mas marcou apenas 24 vezes em 20 duelos.

Para Drubscky, o fato de o Atlético ter mais posse de bola (54% em média) em relação aos adversários é um dado importante, mas que precisa ser revertido em "chances de gol".

"Criar [oportunidades no ataque] não é fácil, mas precisamos ter mais situações ofensivas para o Atlético ficar nas primeiras posições na tabela", alertou o técnico.

Ele destacou, ainda, que o Atlético vem apresentando – com sua orientação – uma postura mais ofensiva e tomando as inciativas. Mas, afirma que o time ainda está buscando um acerto definitivo no perfil tático.

"Com mais ou com menos qualidade, estamos dominando as partidas. Assim mesmo precisamos trabalhar para encontrar e aprimorar nosso padrão de jogo", falou.

Diante das observações críticas, o Rubro-Negro terá, pelo menos, duas alterações para o jogo contra o Ipatinga, amanhã, em Minas Gerais. Ambas, entretanto, não foram antecipadas pelo comandante interino.

"As mudanças serão para dar mais dinamismo. Todas as mexidas são feitas com a ideia de incrementar o jogo da nossa equipe, para sermos mais dinâmicos e rápidos nas transições ataque-defesa", explicou Drubscky, que espera um jogo difícil contra os mineiros, que ocupam a 19.ª posição na tabela com apenas 14 pontos.

"Jogar contra uma equipe que está disputando o título ou lutando contra o rebaixamento é complicado, pois é difícil dizer qual time é mais aguerrido em campo. No segundo turno, os times apresentam uma melhor qualidade e tudo tende a ser mais difícil", finalizou.

O Atlético ocupa a sexta colocação na tabela com 33 pontos – o Goiás é o primeiro do G4 com 36.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]