| Gazeta do Povo
| Foto: Gazeta do Povo

A partida com o Vasco é encarada como mais uma final por parte dos jogadores do Paraná. Caso os tricolores percam o duelo da noite desta sexta-feira (31), às 21h50, na Vila Capanema, a distância para a zona de rebaixamento pode cair para apenas dois pontos.

Além disso, a chance de enfrentar o Cruzmaltino, equipe com maior visibilidade nesta edição da Série B, é vista como uma oportunidade por parte do elenco comandado por Ricardinho: uma boa atuação contra um adversário de renome nacional pode abrir portas importantes na sequência das carreiras dos atletas.

"É o sonho de todo jogador, este é o melhor jogo do campeonato: vamos jogar contra uma das maiores equipes do país. Todo garoto sonha com momentos assim", afirma o zagueiro Alef. Mesmo assim, o defensor não se intimida na hora de analisar o duelo. "Apesar da tradição do adversário, camisa não entra em campo. Na Vila Capanema, vamos vencer o Vasco", confia.

ParanáO zagueiro Alisson, com uma lesão no músculo adutor da coxa esquerda, fica de fora. Por conta da gravidade da lesão, as chances são grandes de o atleta não atuar mais pelo Paraná nesta Série B.

Já o lateral esquerdo Paulinho foi liberado para resolver problemas particulares e também fica de fora. Assim como o volante Lucas Otávio e o atacante Giancarlo, que seguem no departamento médico.

Na zaga, Alef será o titular, enquanto na esquerda o jovem Yan ganha a posição. A outra mudança na equipe é de ordem tática: o meia Thiago Humberto deve iniciar na vaga que pertencia ao volante Jean.

Assim, o Tricolor deve atuar com Marcos; Chiquinho, Cleiton, Alef e Yan; Edson Sitta, Ricardinho, Thiago Humberto e Lúcio Flávio; Carlinhos e Adaílton.

VascoO técnico Joel Santana não poderá contar com o zagueiro Douglas Silva e com o meia Lucas Crispim, ambos lesionados. Por outro lado, o meia Douglas retorna de suspensão. Outra novidade fica por conta do retorno do volante Pedro Ken, que se recuperou de um problema no ombro.

Outras mudanças acontecem na linha defensiva: na lateral direita, Carlos Cesar é a novidade. Na esquerda, a disputa fica entre Diego Renan e Lorran.

Os cariocas devem entrar em campo com Martín Silva; Carlos César, Rodrigo, Luan e Diego Renan (Lorran); Guiñazu, Aranda, Pedro Ken, Douglas e Maxi Rodríguez; Kléber.

Chave da vitória

Os paranistas estão cientes disso e reconhecem: a estratégia ofensiva do adversário irá abrir espaços para o Tricolor jogar. Com um sistema defensivo afinado e sabedoria para explorar as chances ofensivas, o Paraná tem tudo para vencer a partida.

Por outro lado, sentir a pressão e o peso do Time da Colina, recuar demais e abdicar da posse de bola podem ser fatais e representar o indesejado revés.

Melhor e pior cenárioUma vitória não bastaria para o Paraná ganhar posições na tabela. Atualmente na 13ª colocação, com 40 pontos, o time está a cinco do Náutico, equipe logo à frente.Entretanto, os três pontos podem aumentar para oito a distância para a zona de rebaixamento e dar a tranquilidade necessária para o time terminar a temporada sem maiores sustos. O revés, por outro lado, pode fazer o Tricolor perder uma posição e ainda ver a distância para a ZR reduzida para um ponto.

Já o Vasco tem 55 pontos e está na terceira colocação. Uma vitória garante o time no G4, mas não o faz subir na tabela. Por outro lado, uma derrota pode diminuir para apenas um ponto a distância para o quinto colocado, o Santa Cruz.

Histórico

No primeiro turno

Campanha

Curiosidades

O árbitro

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]