Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

PUBLICIDADE

Temporada 2017

Paraná acerta com o técnico Wagner Lopes, ex-Sampaio Corrêa

  • Redação, com Tribuna do Paraná
 | Fernando Ribeiro/Criciúma EC
Fernando Ribeiro/Criciúma EC
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

O Paraná acertou neste sábado (3) a contratação do técnico Wagner Lopes para a temporada 2017. Ele estava sem clube desde que foi demitido do Sampaio Corrêa, em agosto, depois de dirigir 17 partidas pela Série B, com 2 vitórias, 6 empates e 9 derrotas - aproveitamento de apenas 23,5%.

Antes do time maranhense, Lopes havia dirigido o Atlético Goianiense, Bragantino, Goiás, Criciúma, Botafogo-SP, entre outros. Brasileiro naturalizado japonês, ele chegou a disputar como jogador a Copa do Mundo de 1998, na França, pela seleção japonesa.

A vinda do treinador teria sido uma indicação do novo gestor de futebol do clube, Rodrigo Pastana, também confirmado pelo Tricolor. O dirigente foi responsável por reconduzir o Guarani à Série B do Campeonato Brasileiro neste ano.

Wagner Lopes chega para implementar uma nova metodologia de trabalho, com a utilização de atletas da base, visando as disputas do Paranaense, da Primeira Liga, da Copa do Brasil e da Série B, que, mais uma vez, é o principal objetivo do Paraná na temporada - será a 10.ª edição seguida do clube na divisão de acesso. Em 2016, ele fez a pior campanha de sua história, terminando em 15.º lugar com 41 pontos.

“As mudanças deverão ser profundas, o que é normal num cenário como este”, reconheceu Pastana, que nos últimos dias esteve conhecendo a estrutura do clube e do próprio departamento de futebol do Paraná.

“O clube tem uma boa infraestrutura, mas que pode ser otimizada. O objetivo é estar com tudo ajustado até o dia 2 de janeiro, quando daremos início à nossa pré-temporada”, explicou o executivo em entrevista ao site oficial.

LEIA TAMBÉM: Chape será declarada campeã da Sul-Americana, diz presidente atual do clube

Rodrigo Pastana tem apenas 40 anos, mas já conta com vários acessos de divisões em seu currículo. Ele sabe que a volta à Série A nacional é a grande obsessão do Paraná Clube. “O sucesso é consequência de um trabalho realizado ao longo da temporada. Então, não prometemos título ou acesso, mas sim a coerência de um trabalho que possa resultar em um grupo equilibrado e competitivo”, ponderou. Foi com essa diretriz que Pastana obteve sucesso, nesta temporada, com o Guarani.

A volta do Bugre à Série B não foi o único feito na carreira de Pastana no futebol profissional. Em 2006, ele fez parte da equipe do Grêmio Barueri no acesso à Série B e, dois anos depois, o clube paulista chegava à Série A.

Os outros acessos do executivo foram no Criciúma (2012) e Figueirense (2013). Além disso, no ano passado, corrigiu a rota do Ceará, que era lanterna na virada do turno e conseguiu se manter na Série B do Brasileirão, após a sua chegada.

8 recomendações para você

deixe sua opinião

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE