Quem ficou acordado para assistir ao GP do Japão de Fórmula-1 é priviegiado. Há muito tempo a categoria não proporcionava aos seus fãs uma corrida tão interessante e emocionante. Teve de tudo. Choro, batida feia de um bicampeão, uma briga fantástica de Felipe Massa com o polonês Robert Kubica pelo sexto lugar nos últimos metros, recorde de 24 voltas com o safety car, carro pegando fogo, muita chuva, derrapagens, aquaplanagens e vitória da sensação da escuderia, o inglês Lewis Hamilton, que pôs a mão na taça ao vencer a corrida e ver Fernando Alonso abandonar.

Agora Lewis Hamilton está com 107 pontos, seguido pelo colega de equipe Fernando Alonso, com 95, Kimi Raikkonem, da Ferrari, com 90 e Felipe Massa, também da Ferrari, com 80.

Heikki Kovalainen, da Renault, chegou em segundo, no primeiro pódio do ano da equipe que, com Fernando Alonso, faturou os últimos dois campeonatos. Kimi Raikkonen, da Ferrari, foi o terceiro e segue com chances. Sexto colocado, o brasileiro Felipe Massa deu o tom do que foi a prova.

- A corrida foi muito complicada. Foi um inferno do início ao fim. Erramos no começo ao sair com pneu intermediário. Quando estava em terceiro, pensei que poderia ir até o final, mas tive que parar de novo e acabei em sexto. Pelas circustâncias foi bom - disse o brasileiro.

Em função da forte chuva, a largada foi dada com o safety car (carro de segurança). A Ferrari, de forma errada, optou por pneus intermediários e tanto Felipe Massa como Kimi Raikkonen sofreram nas primeiras voltas com muita instabilidade. Além disso, a organização da prova ordenou que a escuderia trocasse os pneus dos carros por equipamentos de chuva para dar maior segurança. Resultado: Massa e Raikkonen foram para os boxes e voltaram para as últimas posições.

Passadas 14 voltas ainda com o safety car, a Ferrari decidiu mudar a estratégia aproveitando as últimas colocações dos seus pilotos. Raikkonen e Massa foram para os boxes para reabastecer com objetivo de ficar com combustível até o fim. Mas Felipe Massa não estava num dia bom. Ao deixar a área dos boxes, ele ultrapassou, desnecessariamente, a velocidade mínima de 80km/h e acabou punido, tendo que cumprir 10 segundos após a relargada.

O safety car liberou a pista somente quando já havia 19 voltas completadas. E a relargada foi mais um momento péssimo para Felipe Massa. Isto porque, logo na primeira volta, Alexander Wurz perdeu o controle e bateu no brasileiro, que por sorte conseguiu voltar à corrida. Após ir para os boxes para cumprir os 10 segundos, Massa voltou para a pista mas foi direto para a grama, mostrando todo o desequilíbrio do seu carro. Mais uma vez conseguiu voltar para o asfalto.

E a corrida maluca continuou aprontando das suas. Restando 44 voltas para o fim, o japonês Takuma Sato viu seu carro pegar fogo no reabastecimento, mas as chamas se apagaram rapidamente quando acelerou. Cinco voltas depois, o bicampeão mundial Fernando Alonso escapou da pista assustando a torcida espanhola, mas também conseguiu retornar na segunda posição.

Quando todas achavam que Felipe Massa estava com o carro sob controle, apareceu o também brasileiro Rubens Barrichello na frente para dar um susto. Para não bater no compatriota, o piloto da Ferrari teve que tirar o veículo da pista. Minutos depois, dois choques das McLarens faltando 33 voltas para o fim. Primeiro foi Hamilton, que com o carro pesado acabou derrapando e tocando na BMW do polonês Robert Kubica. Depois foi Fernando Alonso, que deu um giro de 360º após encostar na Toro Rosso do alemão Sebastian Vettel.

Faltando 26 voltas para o final, um susto que fez lembrar por alguns segundos a morte de Ayrton Senna. O espanhol Fernando Alonso derrapou, bateu forte no muro e ficou algum tempo dentro do carro sem se mexer. Para alívio de todos, o bicampeão mundial saiu do cockpit inteiro. Mas o 'esqueleto' do seu carro ficou na pista, fazendo com que o safety car voltasse.

- Houve aquaplanagem e o muro estava muito perto, por isso bati - explicou Alonso.

Nessa altura, Felipe Massa já estava em oitavo lugar, sendo Raikkonen o quinto. Hamilton liderava, seguido por Mark Weber, Sebastian Vettel e Vitantonio Liuzzi. Mas, para espanto de todos, quando restavam 22 voltas, o segundo colocado Mark Weber abandonou a prova mesmo quando o safety car estava na pista após bater em Sebastian Vettel, o terceiro. Inacreditável. Extremamente chateado, o alemão Vettel chorou como uma criança nos boxes já que esteve muito perto do melhor resultado da carreira.

O safety car deixou a pista cinco voltas depois, quando restavam 20 para o final. Com 10 para o encerramento, Felipe Massa foi obrigado a ir para os boxes. Voltou em nono. Na última volta, o brasileiro protagonizou aquilo que todos os brasileiros e amantes da Fórmula-1 querem ver. Numa disputa alucinante com o polonês Kubica, ultrapassou e foi ultrapassado várias vezes até mostrar personalidade, pisar fundo e chegar na frente, fechando uma corrida sensacional e, acima de tudo, maluca.

Resultado da prova

1 - Lewis Hamilton (McLaren)

2 - Heikki Kovalainen (Renault)

3 - Kimi Räikkönen (Ferrari)

4 - David Coulthard (Red Bull)

5 - Giancarlo Fisichella (Renault)

6 - Felipe Massa (Ferrari)

7 - Robert Kubica (BMW)

8 - Vitantonio Liuzzi (Toro Rosso)

9 - Adrian Sutil (Spyker)

10 - Rubens Barrichello (Honda)

11 - Jenson Button (Honda)

12 - Sakon Yamamoto (Spyker)

13 - Jarno Trulli (Toyota)

14 - Nick Heidfeld (BMW)

15 - Takuma Sato (Super Aguri)Abandonaram

Ralf Schumacher (Toyota)

Anthony Davidson (Super Aguri)

Nico Rosberg (Williams)

Sebastian Vettel (Toro Rosso)

Mark Webber (Red Bull)

Fernando Alonso (McLaren)

Alexander Wurz (Williams)

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]