Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Jogadores do Atlético são xingados após a derrota para o Corinthians na Arena: torcida está decepcionada com o time | Daniel Castellano/ Gazeta do Povo
Jogadores do Atlético são xingados após a derrota para o Corinthians na Arena: torcida está decepcionada com o time| Foto: Daniel Castellano/ Gazeta do Povo

Craque: Marcelo

Melhor jogador do Atlético, único escape ofensivo da equipe, o atacante marcou um gol de categoria, o primeiro da nova Arena. O atacante partiu em velocidade, cortou para dentro e bateu no cantinho.

Bonde: Bady

O meia contratado do São Bernardo não fez uma boa estreia pelo Furacão, mesmo em se tratando de um amistoso. Errou boa parte dos passes que tentou e chegou a dividir uma bola com o colega de time Otávio.

Guerreiro: Gil

O zagueiro corintiano atuou por toda a partida. E exibiu o mesmo vigor de um confronto de campeonato, sem aliviar. Firme pelo alto, forte na marcação e nos desarmes.

Em campo, o jogo histórico terminou com sabor amargo para a torcida do Atlético. Os donos da nova casa marcaram o gol inaugural da Arena padrão Fifa, com Marcelo, mas viram o Corinthians virar o placar e vencer o amistoso por 2 a 1.

A decepção agravou a crise técnica do Rubro-Negro. Foi a terceira derrota consecutiva, com enredo manjado. No Brasileiro, o Furacão também largou na frente diante de Cruzeiro e Internacional e tomou a virada.

Ainda enquanto a bola rolava, o técnico Miguel Ángel Portugal foi eleito o principal vilão. Nem mesmo a mudança praticamente total da escalação no intervalo – só o lateral-esquerdo Olaza voltou para o segundo tempo – serviu para amenizar o tratamento hostil oferecido pelo coro das arquibancadas ao treinador.

O comandante espanhol só não ouviu mais críticas e xingamentos por causa do afastamento providencial entre a arquibancada e o banco de reservas. Temendo a "interação" do público com jogadores e treinadores – como ocorreu no teste contra o J. Malucelli – a organização do evento interditou as quatro primeiras fileiras.

Os gritos de "fora, Portugal" e "Ei, Portugal, vai tomar..." começaram a ecoar a partir dos 28/2.º. Depois, sobrou para a diretoria, com o pedido por contratações. Os corintianos, por sua vez, aproveitaram para cantar "olé".

Na entrevista coletiva, o técnico reagiu com ironia ao ser questionado sobre os protestos. "A torcida quer aprender meu nome. Não sabem o nome do treinador do Atlético, por isso dizem o meu nome". Portugal culpou a inexperiência pelo revés. "Após o segundo gol do Corinthians, os garotos ficaram nervosos", declarou.

A virada ocorreu logo após o intervalo, aos 10, com Renato Augusto. Antes, no primeiro tempo, Marcelo anotou para o Furacão, aos 14, e Luciano igualou, aos 28. O insucesso atleticano reforça a pressão para o retorno do Nacional. O Furacão é apenas o 14.º colocado, com 4 pontos em 4 confrontos. No domingo, enfrenta o Chapecoense, às 16 horas, no Estádio Willie Davids, em Maringá – o clube ainda cumpre punição de perda de mando de campo decorrente da selvageria em Joinville, no ano passado.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]