No coração do Oriente Médio, está um país de 8,8 milhões de habitantes, cuja metade já está vacinada contra a Covid-19. Trata-se de uma nação jovem, nascida em 1948, mas que é referência em liberdade econômica. É também o lar de muitas startups e de uma das religiões mais antigas do mundo, vítima do genocídio que dividiu a história da humanidade: o Holocausto. Por essa e muitas outras razões, toda vez que seu nome emerge no noticiário, é alvo de polêmicas.

Este é o Estado de Israel, para o qual o presidente Jair Bolsonaro pretende mandar uma comitiva em busca de tratamento contra o coronavírus. Do outro lado do Atlântico, bem longe do Mar Morto, os ânimos vivem à flor da pele. Há quem veja em Israel o símbolo de uma promessa divina e quem - ainda - torça o nariz para falar de judeus. O Ideias recebe o cientista político Igor Sabino, autor de "Por amor aos patriarcas", e o jornalista e escritor Victor Grinbaum, para conversar sobre Israel e o antissemitismo no século XXI.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]