O anestesista Amato De Monte, responsável pelo protocolo médico para interromper a alimentação de Eluana Englaro, é investigado pela Justiça italiana sobre fotos tiradas da paciente, morta em 9 de fevereiro. De Monte, que orientou a equipe que interrompeu a alimentação e hidratação de Eluana, que estava em estado vegetativo por 17 anos, foi intimado nesta quarta-feira (25) pela polícia.

Segundo os investigadores, De Monte tirou fotos de Eluana apesar da proibição decretada por juízes de Milão, que vetaram o uso de câmeras no quarto onde ela estava internada. O advogado do anestesista explicou que as fotos tinham caráter clínico, para testemunhar a realização dos procedimentos.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]