Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...

O papa Bento XVI indultou seu ex-mordomo, Paolo Gabriele, de 46 anos, condenado a 18 meses de prisão pelo roubo de documentos secretos do pontífice, informou neste sábado o porta-voz do Vaticano, Federico Lombardi.

Gabriele, conhecido como "Paoletto", cumpria pena desde 25 de outubro em uma cela do Vaticano. O papa visitou o ex-mordomo na prisão e o comunicou de sua decisão, disse Lombardi por meio de um comunicado da Secretaria de Estado.

"Nesta manhã, o Santo Padre Bento XVI visitou na prisão o senhor Paolo Gabriele para confirmar seu perdão e para comunicar pessoalmente que tinha aceitado seu pedido de indulto, perdoando a pena imposta", explicou a Secretaria de Estado.

Foi "um gesto paternal para uma pessoa com a qual o papa compartilhou durante vários anos uma familiaridade diária". Gabriele foi libertado imediatamente e retornou para sua casa, a poucos metros de onde cumpria a pena.

O ex-mordomo, disse Lombardi, não recuperará seu trabalho e deixará de viver no Vaticano. "No entanto, a Santa Sé, confiando na sinceridade do arrependimento manifestado, deseja oferecer a ele a possibilidade de retomar com serenidade a vida junto a sua família", explicou a Secretaria de Estado.

Lombardi afirmou que o perdão do papa "é uma boa notícia" e o final de "um triste caso".

O porta-voz ressaltou que a visita de Bento XVI relembra a ida à prisão que João Paulo II fez para encontrar Ali Agca, o turco que tentou assassiná-lo em 1981, na praça de São Pedro do Vaticano.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]