Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Policiais utilizaram cassetetes, bombas de efeito moral e gás lacrimogêneo contra pessoas que protestavam e carregavam o caixão durante a procissão funerária
Policiais utilizaram cassetetes, bombas de efeito moral e gás lacrimogêneo contra pessoas que protestavam e carregavam o caixão durante a procissão funerária| Foto: EFE/EPA/ATEF SAFADI

O secretário de Estado americano, Antony Blinken, condenou nesta sexta-feira (13) a ação da polícia israelense durante a procissão funerária da jornalista palestina com cidadania americana Shireen Abu Akleh, na Cidade Velha de Jerusalém.

Imagens divulgadas mais cedo mostraram policiais de Israel desferindo chutes e golpes de cassetete contra pessoas que protestavam, carregando bandeiras da Palestina, e que carregavam o caixão com o corpo da jornalista. Bombas de efeito moral e gás lacrimogêneo também foram utilizados.

“Ficamos profundamente perturbados com as imagens da polícia israelense invadindo o cortejo fúnebre da palestina-americana Shireen Abu Akleh. Toda família merece colocar seus entes queridos para descansar de maneira digna e sem impedimentos”, escreveu Blinken no Twitter.

Abu Akleh, da emissora Al Jazeera, morreu baleada enquanto cobria uma ação militar israelense na Cisjordânia na quarta-feira (11). Ela tinha 51 anos e havia se tornado conhecida por suas reportagens na região.

A Al Jazeera atribuiu a morte da jornalista às forças israelenses, que anunciaram uma investigação – antes, porém, militares sugeriram que Abu Akleh poderia ter sido atingida por disparos de palestinos.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]