i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Tensão

Estados Unidos instam Irã a soltar acadêmico

Americano de origem iraniana foi acusado de espionagem e foi condenado a 15 anos de prisão

  • PorReuters
  • 20/10/2009 17:53

Os Estados Unidos instaram nesta terça-feira o governo de Teerã a libertar o acadêmico americano de origem iraniana Kian Tajbakhsh, que foi sentenciado a pelo menos 12 anos de prisão depois de ser detido após as eleições de junho.

O porta-voz do Departamento de Estado norte-americano, Ian Kelly, disse que os EUA estavam "profundamente preocupados" porque Tajbakhsh foi sentenciado a um longo tempo de prisão no Irã. Kelly disse que ele foi condenado a 15 anos, enquanto o advogado do acadêmico, Houshang Azhari, disse à agência de notícias IRNA em Teerã que a sentença era "de mais de 12 anos".

"O senhor Tajbakhsh não representa nenhuma ameaça ao governo iraniano ou à segurança nacional. Dada a natureza infundada das acusações contra ele, pedimos ao Irã que o liberte imediatamente", disse Kelly.

Tajbakhsh estava entre as mais de 100 pessoas detidas depois da eleição presidencial, que foi seguida por grandes protestos da oposição.

Ele foi acusado de espionagem e de agir contra a segurança nacional.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.