i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
AFEGANISTÃO

Mais quatro soldados da Otan morrem no Afeganistão

  • PorAgência Estado
  • 23/08/2010 09:26

Quatro integrantes da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) morreram hoje no Afeganistão, em explosões nas regiões norte e sul do país, segundo informações da força internacional.

Um dos mortos era americano, e a nacionalidade dos demais não foi informada. Com essas perdas, subiu para 46 o número de militares estrangeiros mortos no Afeganistão, de acordo com um levantamento da agência de notícias Associated Press. O período é de tensão principalmente para os Estados Unidos, que tiveram 66 baixas em julho, o pior mês para as forças americanas no Afeganistão desde a invasão em 2001.

Ontem, quatro soldados dos Estados Unidos morreram em combates no leste e no sul do país. Os combates se intensificaram, em meio ao aumento do contingente de tropas estrangeiras que enfrentam o Taleban para cerca de 120 mil soldados, entre eles mais de 78 mil americanos. As tropas estrangeiras estão travando combates no sul e nas montanhas do leste do país, onde os insurgentes se estabeleceram. Além disso, os milicianos atacam em zonas do norte e do oeste do país, onde anteriormente eles não eram muito ativos.

Enquanto isso, o presidente afegão, Hamid Karzai, defendeu sua decisão de dissolver as companhias privadas de segurança que operam no país, afirmando que elas minam a polícia e o Exército e contribuem para a corrupção. Karzai ordenou na semana passada que as companhias afegãs e estrangeiras de segurança parem de operar até o fim do ano, apesar das preocupações americanas de que o prazo curto possa trazer riscos para os projetos de desenvolvimento protegidos por esses guardas privados.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.