i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Eleições

Romney defende seus polêmicos comentários sobre eleitores de Obama

Segundo Romney, ele e Obama têm "dois pontos de vista muito diferentes" sobre os EUA, país no qual "o governo desempenha um papel cada vez maior e redistribui a riqueza", o que, para ele, é o "caminho errado"

  • PorEFE
  • 18/09/2012 19:03

O candidato republicano à presidência dos Estados Unidos, Mitt Romney, defendeu nesta terça-feira (18) seus polêmicos comentários nos quais rotulou como "vítimas" e "dependentes do governo" os eleitores do presidente Barack Obama, e disse que sua intenção foi destacar a "grande brecha" entre sua visão e a do atual governante. "Acreditamos nas pessoas livres e na livre empresa, não na redistribuição", declarou Romney à rede "Fox News" em sua primeira entrevista após a controvérsia gerada por seus comentários.

VÍDEO: Veja o depoimento de Mitt Romney

Segundo Romney, ele e Obama têm "dois pontos de vista muito diferentes" sobre os Estados Unidos, país no qual "o governo desempenha um papel cada vez maior e redistribui a riqueza", o que de acordo com ele é o "caminho errado". "Isso não vai construir um Estados Unidos forte ou ajudar a população a sair da pobreza. Acho que o caminho correto é aquele no qual o governo intervém para ajudar os que precisam", argumentou o candidato.

Os democratas e Obama, que tentará a reeleição em 6 de novembro, "acham que é preciso tomar de alguns e dar a outros. Eu não acredito nisso", insistiu. Romney defendeu assim, sem se desculpar em nenhum momento, suas polêmicas declarações que constam em um vídeo gravado escondido em um jantar com doadores de sua campanha no dia 17 de maio em Boca Raton (Flórida) e que foi divulgado no site da revista "Mother Jones", de tendência esquerdista.

No vídeo, é possível ver um Romney descontraído comentando que 47% dos americanos votarão em Obama porque "acham que são vítimas, que o governo tem a responsabilidade de cuidar deles, que têm direito a saúde, alimentação, moradia ou como o quiserem chamar".

"Meu trabalho não é me preocupar com essas pessoas. Nunca os convencerei de que deveriam assumir sua responsabilidade e se preocuparem com suas vidas", disse Romney, para quem os 47% que apoiarão Obama são aqueles que não pagam imposto de renda.

Seu propósito de deixar para trás sua imagem de homem rico alheio às preocupações do cidadão médio fica seriamente comprometido após estas declarações, segundo alguns dos principais analistas políticos americanos, e os mais inclinados à esquerda opinam inclusive que ele perdeu as eleições por causa deste episódio.

A grande repercussão fez Romney convocar uma entrevista coletiva para a noite de ontem na Califórnia e argumentar que suas ideias "não foram expostas de maneira muito elegante" porque ele estava "falando de maneira coloquial", mas também não se desculpou. "Os americanos estão caindo na pobreza com este presidente. Quero que voltem a trabalhar", ressaltou hoje Romney na "Fox News".

A respeito das pessoas que não pagam impostos, muitos dos quais são idosos ou estão abaixo da linha da pobreza, o candidato afirmou que nos EUA deveria haver "suficientes postos de trabalho para que a população tivesse o privilégio de ter maiores receitas que lhes permitiriam pagar impostos".

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.