Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
  • Ícone FelizÍcone InspiradoÍcone SurpresoÍcone IndiferenteÍcone TristeÍcone Indignado
Pessoas escrevem mensagens em frente ao café onde ocorreu sequestro | Jason Reed/Reuters
Pessoas escrevem mensagens em frente ao café onde ocorreu sequestro| Foto: Jason Reed/Reuters

O primeiro-ministro da Austrália, Tony Abbott, revelou nesta quarta-feira (17) que o autor do sequestro da última segunda-feira (15) em uma cafeteria de Sydney possuía porte de armas, e anunciou uma investigação urgente para esclarecer o incidente, no qual morreram três pessoas.

"Como essa pessoa tinha porte de armas? Como ela conseguiu permissão permanente de residência? Como ele conseguiu se beneficiar dos serviços sociais?", foram algumas das perguntas de Abbott às agências governamentais, em referência ao sequestrador, o iraniano Man Haron Monis.

Katrina Dawson, uma advogada australiana de 38 anos e mãe de três crianças, e seu compatriota Tori Johnson, de 34 anos e gerente da cafeteria atacada, morreram no incidente, assim como o sequestrador, supostamente abatido pelos policiais.

O sequestrador obteve asilo na Austrália em 2001. Ele estava em liberdade condicional porque respondia a um processo, acusado de ser cúmplice na morte de sua ex-mulher. Também era conhecido por enviar cartas ofensivas aos familiares de soldados australianos mortos no Afeganistão e foi acusado de vários crimes sexuais.

Abbott anunciou que os governos federal e estadual (Nova Gales do Sul) produzirão um relatório com recomendações, com caráter de urgência, dos fatos que envolvem o incidente na cafeteria de Sydney.

O relatório deverá estar pronto no final de janeiro e terá que explicar as razões de Monis ter conseguido porte de armas e de não ter sido incluído em 2009 em uma lista de segurança, pois era "uma pessoa de interesse" para a inteligência australiana (Asio) "há um bom tempo".

O relatório deverá ser "meticuloso, rápido e que suas lições sejam colocadas em prática o mais breve possível", disse Abbott.

O primeiro-ministro enfatizou a necessidade de se averiguar como uma pessoa "com uma história de obsessão com o extremismo, crimes violentos e instabilidade mental conseguiu obter porte de armas".

Por causa do incidente na cafeteria, as autoridades estão fazendo uma revisão de todas as suas medidas de segurança.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros

Máximo de 700 caracteres [0]