i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
crise

Total de imigrantes que chegaram à Europa pelo mar subiu dez vezes

O número de chegadas passou de 76 mil em 2016, e o de mortes em rotas do Mediterrâneo subiu de 69 nas primeiras seis semanas de 2015 para 409 no mesmo período deste ano

    • SÃO PAULO
    • Folhapress
    • 09/02/2016 20:35
    Naufrágios em barcos de imigrantes chegando à Europa se tornaram rotina | STR/AFP
    Naufrágios em barcos de imigrantes chegando à Europa se tornaram rotina| Foto: STR/AFP

    O número de imigrantes e refugiados que chegaram à Europa pelo mar nas primeiras seis semanas do ano subiu dez vezes em comparação com o mesmo período de 2015. E o número de mortes também aumentou, segundo informou a Organização Internacional para as Migrações (OIM) nesta terça-feira (9).

    O número de chegadas passou de 76 mil em 2016, e o de mortes em rotas do Mediterrâneo subiu de 69 nas primeiras seis semanas de 2015 para 409 no mesmo período deste ano, segundo a OIM.

    A organização afirmou que não espera queda no número de pessoas que chegam à Europa e previu que no mês que vem a Grécia vá receber a milionésima pessoa desde que a crise começou.

    Mais de 1,1 milhão de pessoas que fogem da pobreza, da guerra e da repressão no Oriente Médio, na Ásia e na África alcançaram as margens da Europa no ano passado, a maioria rumo à Alemanha.

    Cerca de metade das chegadas é de refugiados da guerra da Síria, afirma o Acnur, a agência da ONU para refugiados.

    A OIM informou que 70.365 imigrantes e refugiados chegaram por via marítima à Grécia neste ano, e 5.898, à Itália.

    Morreram 319 pessoas durante a travessia no leste do Mediterrâneo – da Turquia para a Grécia – e 90 na rota central – entre a África do Norte e a Itália.

    O porta-voz da OIM, Joel Millman, disse que a organização não espera que o número de chegadas de imigrantes e refugiados na Europa caia em um futuro próximo.

    “Há mais crises simultâneas acontecendo do que já vimos antes”, disse. “As condições nos países que estão alimentando a crise migratória estão, em grande parte, inalteradas, por isso achamos que os números provavelmente vão continuar os mesmos.”

    A travessia do leste do Mediterrâneo é mais segura do que a rota do Mediterrâneo central, onde houve um grande número de naufrágios em 2015.

    Mas Millman disse que o número de mortes no mar Egeu aumentou subitamente no final do ano passado, quando pequenos barcos afundaram quase diariamente -possivelmente mostrando que os imigrantes estavam usando barcos com menos navegabilidade.

    Deixe sua opinião
    Use este espaço apenas para a comunicação de erros
    Máximo de 700 caracteres [0]

    Receba Nossas Notícias

    Receba nossas newsletters

    Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

    Receba nossas notícias no celular

    WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

    Comentários [ 0 ]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.