i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Falta de diálogo

Uruguai rechaça ex-presidente Kirchner como secretário da Unasul

  • PorReuters
  • 23/10/2008 20:23

O Uruguai decidiu que não votará no ex-presidente argentino Néstor Kirchner para assumir o cargo de secretário-executivo da União de Nações Sul-Americanas (Unasul), por causa da falta de diálogo entre os dois países a respeito de uma fábrica de celulose construída na fronteira comum, afirmou nesta quinta-feira (23) um membro do Poder Legislativo uruguaio.

O chanceler do Uruguai, Gonzalo Fernández, comunicou na noite desta quarta-feira, aos líderes de partidos da oposição, a postura do governo a respeito da próxima votação na Unasul, explicou à Reuters o senador do Partido Colorado e ex-ministro das Relações Exteriores Didier Opertti.

O Uruguai criticou o governo do país vizinho por não ter feito nada para desobstruir uma ponte binacional ocupada por ambientalistas argentinos há mais de dois anos. Os ambientalistas protestam devido à instalação de uma fábrica de celulose da empresa finlandesa Botnia na margem uruguaia de um rio fronteiriço.

"A Unasul é uma instituição criada recentemente e um de seus objetivos fundamentais é promover e ampliar o diálogo. E se há algo de que podemos falar é que esse diálogo para resolver qualquer tipo de problema, esse diálogo sério, respeitoso, não existiu com a Argentina", afirmou Opertti.

O senador disse que seu bloco apóia a decisão do governo, a qual, nas palavras dele, "não é uma manobra estratégica."

Líderes de outros setores da oposição afirmaram a meios de comunicação uruguaios que seus partidos também concordam com a postura do governo.

O conflito sobre a fábrica de celulose, que chegou à Corte Internacional de Justiça (onde a Argentina denunciou o Uruguai por violar um tratado bilateral), atingiu o âmbito diplomático três anos atrás.

No início de outubro, a presidente do Chile, Michelle Bachelet, presidente interina da Unasul, disse que até o momento existiam somente a candidatura de Kirchner e do político boliviano Pablo Solón.

A chancelaria chilena informou que ainda não está decidido quando ocorrerá a próxima reunião da entidade, prevista para antes do fim do ano.

A Unasul é formada por Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Equador, Guiana, Paraguai, Peru, Suriname, Uruguai e Venezuela.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.