i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Artigo

Dia da Criança: afinal, qual é o mais valioso presente?

Diana Gualberto de Macedo, professora do Departamento de Comunicação Social do Centro Universitário Internacional Uninter

  • Por
  • 10/10/2014 21:10

Há muito tempo se sabe que consumimos em rituais, e o Dia da Criança é uma das datas mais importantes do calendário promocional. Segundo o presidente da Fecomércio paranaense, esta já é a quarta data mais importante do ano em número de vendas, já que as crianças não são apenas presenteadas pelos pais, mas também por padrinhos, avós e tios. Ainda segundo os dados da Fecomércio, 82% dos paranaenses afirmam que vão presentear neste Dia da Criança. A cada ano este número aumenta, demonstrando o papel cada vez mais relevante que o consumo exerce em nossas vidas.

O ser humano consome, na maioria das vezes, para pertencer a algum grupo e/ou para se distinguir de outro grupo. Dessa forma, construímos nossas identidades – ou seja, através do uso e das apropriações dos bens, atribuímos significado às coisas e ao mundo. E as crianças aprendem isso desde muito cedo. O especialista americano em comportamento do consumidor Michael Solomon afirma que a criança aprende com os pais a consumir, pois tende a imitá-los. Por isso muitas empresas transformam produtos destinados ao universo adulto em brinquedos infantis, como, por exemplo, celulares, notebooks, produtos de beleza e itens de cozinha, que encontrarmos hoje com facilidade nas lojas em versões infantis.

O mercado de produtos e serviços destinados ao público infantil está em constante crescimento. O mundo infantil, portanto, é construído cada vez mais em torno do consumo. O que temos visto mais recentemente é que, se antes os anunciantes precisavam atingir os pais para que determinado produto fosse comprado, hoje basta que atinjam as crianças; afinal, elas têm cada vez mais poder nas decisões familiares sobre a compra. O que não podemos esquecer é que, quando falamos de crianças, precisamos lembrar que elas são mais suscetíveis às influências externas e têm pouco discernimento sobre a lógica capitalista.

Neste Dia da Criança, precisamos refletir sobre a importância de ser presente para uma criança e não apenas presenteá-la. Discute-se muito, há algum tempo, sobre a falta de tempo dos pais para se dedicar aos filhos por diversos motivos, ou seja, eles já se sentem de alguma forma culpados por passar pouco tempo com seus filhos, e uma das formas mais fáceis (e até mesmo esperadas) de "resolver" esse sentimento de culpa é comprar um presente para que seus filhos se sintam amados.

Esses presentes acabam por representar uma espécie de materialização do afeto e, geralmente, quanto mais caro for o presente, maior seria o seu amor pela pessoa. Percebe-se, portanto, nas relações de troca uma possível inversão de sentido, uma transferência de significação para bens materiais que, no entanto, deveria ser suprida por relações afetuosas no contato, na preocupação, no pensamento, no estar junto com outras pessoas.

Ver a alegria de uma criança ao receber um presente é uma das cenas mais valiosas que podemos presenciar. O objetivo não é deixar de agradá-­la com um presente, mas demostrar o quanto uma conversa, uma brincadeira, um carinho e um abraço são também motivo de alegria e demonstração de afeto, talvez muito mais importantes para o desenvolvimento da criança.

Dê sua opinião

Você concorda com o autor do artigo? Deixe seu comentário e participe do debate.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.