i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Artigo

O governo precisa planejar melhor

  • PorCarlos Mingione
  • 17/09/2019 18:00
O governo precisa planejar melhor
| Foto: Carlos Neto/Valec

Nos últimos anos, os brasileiros têm assistido a uma avalanche de notícias negativas vindas de todas as esferas governamentais. Já é de conhecimento de todos o grande número de obras paradas ou concluídas sem atender às necessidades inicialmente projetadas, além do desperdício de dinheiro público com pagamento por empreendimentos com custos acima dos previstos nos contratos – os chamados aditivos –, e suspeita ou confirmação de corrupção. Levantamento do Tribunal de Contas da União (TCU) chega a apontar mais de 14 mil empreendimentos paralisados em contratos assinados apenas na esfera federal.

A Operação Lava Jato é um dos exemplos que acompanhamos nos últimos anos, mostrando os meandros nefastos das contratações de obras e serviços públicos. Nela, figuram contratos suspeitos ou comprovadamente viciados, resultando em casos confirmados de corrupção, revelando o descontrole governamental na gestão desses empreendimentos. Alguns, inclusive, de pouco ou nenhum impacto para a melhoria da qualidade de vida da nossa população.

O planejamento deve passar de um mandato para outro, como uma ferramenta governamental indispensável

Os problemas expostos nos dias atuais mostram que a administração pública brasileira perdeu, há muito tempo, a prática de realizar um planejamento sistemático de suas políticas e ações para expansão e operação da infraestrutura nacional. Enfrentamos um momento de decisões adotadas de afogadilho, por dirigentes interessados apenas em marcar o mandato, correndo o risco de não entregar o prometido e postergando, muitas vezes, a entrega para o próximo governante, ou deixando contas que comprometem as administrações futuras.

O planejamento precisa ser adotado como uma ferramenta de política de Estado, independente do governo de plantão. Um bom planejamento necessita de planos periódicos, com embasamento técnico consistente, e que sejam instrumentos vivos, continuamente revisados e atualizados, que representem as demandas e anseios da sociedade e indiquem os meios para atendê-las.

O Brasil é extremamente complexo e com realidades e carências distintas. As necessidades de São Paulo geralmente são muito diferentes das demandas do Amazonas. O planejamento é um instrumento para entender essa complexidade brasileira. Nele, devem ser apontadas as prioridades regionais e os respectivos empreendimentos que possam atender às diversas demandas. Não pode ser apenas uma ideia que parte de um governante para responder ao seu eleitorado. O planejamento deve passar de um mandato para outro, como uma ferramenta governamental indispensável.

Por isso, o país precisa retomar o planejamento de curto, médio e longo prazo. Se continuarmos a dar passos hesitantes, como tem ocorrido, vamos aumentar ainda mais o déficit e as reivindicações da população brasileira.

Carlos Mingione é engenheiro e presidente do Sindicato Nacional das Empresas de Arquitetura e Engenharia Consultiva (Sinaenco). 

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.