Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Covaxin
Compra da vacina indiana Covaxin pelo governo brasileiro está sob suspeita de favorecimento e superfaturamento.| Foto: Jagadeesh NV/EFE

Para começar este resumo de notícias. A CPI da Covid toma nesta sexta-feira (25) os depoimentos do deputado federal Luís Miranda (DEM-DF) e do irmão dele, o servidor do Ministério da Saúde Luís Ricardo Miranda. A oitiva tem como objetivo esclarecer denúncias de irregularidades envolvendo o contrato da vacina indiana Covaxin com o governo brasileiro. O caso se tornou de interesse dos senadores depois que o deputado afirmou ter alertado pessoalmente o presidente Jair Bolsonaro sobre supostas irregularidades. Wesley Oliveira conta quem é Luís Miranda, o deputado youtuber que acusa o governo.

Inquérito. Bolsonaro voltou a negar qualquer caso de corrupção em seu governo e afirmou: “se algo estiver errado, apuraremos”. Integrantes da Polícia Federal disseram não ter encontrado nenhum inquérito relacionado ao contrato da Covaxin.

Investigações. O Ministério Público Federal (MPF) disse ter encontrado indícios de irregularidade no contrato para compra da vacina indiana e investiga o caso. Saiba quais as suspeitas e as expectativas para os depoimentos.

Utilidade pública

Dólar em queda. Pelo terceiro dia consecutivo, o dólar fechou abaixo de R$ 5. A moeda americana atingiu nesta quinta (24) o menor valor em mais de um ano. Nesta sexta, o ministro da Economia, Paulo Guedes, entrega ao Congresso o projeto de lei que prevê mudanças no imposto de renda de pessoas físicas, jurídicas e sobre aplicações financeiras.

Uso de máscaras. O governo de Israel anunciou que irá retomar a obrigatoriedade do uso de máscaras em ambientes fechados para evitar o contágio pela Covid-19. Mesmo após uma rápida campanha de vacinação em massa e medidas restritivas, o país voltou a registrar alta no número de casos.

Atualização. O Brasil registrou mais 2.032 mortes por Covid-19 e 73.602 novos casos da doença, segundo dados do Ministério da Saúde. Ao todo, o Brasil já contabiliza 18.243.483 diagnósticos positivos e 509.141 óbitos. Quanto à vacinação, até o momento foram imunizados 68.185.022 com a primeira dose e 24.732.252 com a segunda.

Política e economia

Suspeição de Moro. O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), estendeu a declaração da suspeição do ex-juiz Sergio Moro para outros dois processos do ex-presidente Lula: o do sítio de Atibaia e do terreno do Instituto Lula. Em entrevista, o procurador Roberson Pozzobon, que foi membro da força-tarefa da Lava Jato, disse que, com as recentes decisões, o STF mudou a regra do jogo nos lances finais.

Governadores fora da CPI. O plenário do STF formou maioria para manter a suspensão da convocação de governadores pela CPI da Covid. Nesta quinta, os senadores ouviram Jurema Werneck, diretora-executiva da Anistia Internacional, e o epidemiologista Pedro Hallal, que afirmou que o Brasil precisa vacinar 1,5 milhão de pessoas por dia para superar os efeitos da pandemia.

Giro pelo mundo. Um prédio residencial desabou no estado norte-americano da Flórida, deixando pelo menos uma pessoa morta. Na Cisjordânia, um ativista morreu após ser preso e espancado pela polícia da Autoridade Palestina. E a frota de veículos é a mais nova vítima da crise do petróleo na Venezuela.

O que mais você precisa saber hoje

Sucessor de Salles. Quem é Joaquim Leite e o que esperar do novo ministro do Meio Ambiente de Bolsonaro

Tributos. Criação de imposto sobre grandes fortunas está nas mãos do STF – e já tem um voto a favor

Crise hídrica. Termelétricas da privatização da Eletrobras não resolvem emergência do setor elétrico

Caso de sucesso. História sem “amarras ideológicas”: Brasil Paralelo é destaque em congresso internacional

Colunas e artigos

Úteros artificiais. Em 2017, pesquisadores relataram uma possível solução para casos de morte de bebês prematuros: o útero artificial. Em artigo, Philip Wozniak e Ashley Fernandez explicam como a tecnologia pode ser uma importante aliada na defesa do direito à vida. Bruna Frascolla retrata os efeitos nocivos do lockdown em países do primeiro mundo.

Nossa visão  

Imposto sobre fortunas. Um partido político decidido a torcer a Constituição e contornar o Poder Legislativo para fazer prevalecer sua plataforma política encontra um ministro do Supremo Tribunal Federal incapaz de interpretar corretamente um simples trecho da Carta Magna. É assim que devemos entender o voto do relator Marco Aurélio Mello na ação em que o PSol pede ao STF que obrigue o Congresso Nacional a aprovar uma lei que institua o imposto sobre grandes fortunas. Tema para o nosso editorial: O imposto sobre grandes fortunas no STF.

Para o PSol e para Marco Aurélio, não basta que o Congresso coloque em votação um projeto de lei instituindo o imposto sobre grandes fortunas: é preciso aprová-lo. Nenhum outro resultado serve. Anula-se, portanto, qualquer autonomia da parte dos representantes escolhidos pela população. Um partido político demonstra, assim, seu desprezo pela via legislativa e pelo parlamento, buscando que o Judiciário imponha não apenas o que o Congresso tem de votar, mas como deve votar.

Para inspirar

Quase mil doações. Marcos Perez nasceu prematuro e precisou urgentemente de uma transfusão de sangue. A doação de um amigo salvou sua vida e fez com que ele desejasse retribuir: aos 37 anos, completou sua 962ª doação de sangue. O Sempre Família conta essa história. Tenha um ótimo dia e aproveite o fim de semana!

3 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]