O ministro Gilmar Mendes.
Ministro Gilmar Mendes foi o único a votar nesta quarta-feira (7).| Foto: Fellipe Sampaio/ SCO STF

Para começar este resumo de notícias. Começou nesta quarta-feira (7) no Supremo Tribunal Federal (STF) o julgamento da ADPF 811, que questiona a proibição de cerimônias religiosas impostas por um decreto sanitário de São Paulo. A partir disso, os ministros vão decidir se cultos, missas e demais celebrações religiosas podem ser proibidas por decretos estaduais e municipais. O julgamento foi interrompido após o voto do ministro Gilmar Mendes e será retomado nesta quinta (8). Mendes, que no início da semana negou pedidos para derrubar o decreto do governo de São Paulo, votou favoravelmente às proibições.

Quadro sanitário. Ao defender que missas e cultos presenciais sejam proibidos como forma de conter a pandemia de Covid-19, Gilmar Mendes disse que, se não fosse pelos decretos, “o nosso quadro sanitário estaria, muito provavelmente, ainda pior do que se encontra”.

Discussão. Durante visita a Chapecó (SC), o presidente Jair Bolsonaro defendeu ampliar a discussão sobre o assunto. “Não queira tirar a liberdade de quem quer procurar um pastor ou um padre”, afirmou. Leonardo Desideri traz os detalhes do início do julgamento no STF.

Utilidade pública  

Vacinação privada. A Câmara dos Deputados concluiu a votação do projeto que permite a compra de vacinas contra a Covid-19 pela iniciativa privada. A proposta agora segue para o Senado. Uma pesquisa realizada com 320 CEOs e altos executivos de empresas brasileiras indica que 78% dessas empresas comprariam vacinas para destravar os negócios. A Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), porém, se manifestou contrária à iniciativa.

Variante sul-africana. Pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP) concluíram que a variante da linhagem sul-africana do coronavírus detectada em uma paciente de Sorocaba (SP) tem maior capacidade de driblar o sistema imunológico das pessoas infectadas. Além disso, as vacinas já disponíveis apresentam baixa efetividade contra ela. A Agência Europeia de Medicamentos confirmou “possível associação” entre a vacina da AstraZeneca e casos raros de coágulos sanguíneos.

Atualização. O Brasil registrou nesta quarta (7) 3.829 mortes por Covid-19 e 92.625 novos casos da doença, segundo o boletim do Ministério da Saúde. Ao todo, o Brasil já contabiliza 13.193.205 diagnósticos positivos, com 340.776 óbitos e 11.664.158 recuperados.

Política e economia

Aeroportos leiloados. O grupo brasileiro CCR e a empresa francesa Vinci Airports foram os vencedores do leilão de 22 aeroportos brasileiros. Eles vão administrar os terminais pelos próximos 30 anos e terão de investir R$ 6,1 bilhões ao longo do tempo de contrato de concessão. Os vencedores também se comprometeram a pagar R$ 3,3 bilhões em outorga à vista para a União. Saiba quais os aeroportos leiloados e quais empresas irão administrá-los.

Bolsonaro na estrada. O presidente Jair Bolsonaro retomou a agenda de viagens com compromissos em Chapecó (SC), Foz do Iguaçu (PR) e São Paulo. Em Foz, ele voltou a dizer que a pandemia é usada de forma política contra ele, “para tentar derrubar o presidente”. Antes, em Santa Catarina, defendeu a liberdade de médicos no tratamento contra a Covid, negou a possibilidade de lockdown nacional e disse que está “se lixando” para 2022.

Giro pelo mundo. Com o aumento dos casos de coronavírus, o presidente do Chile, Sebastián Piñera, promulgou a lei que adia por cinco semanas as eleições para prefeitos, governadores e delegados que vão redigir a nova Constituição, marcadas para este fim de semana. O Reino Unido decidiu recomendar outra vacina a menores de 30 anos, que não a da AstraZeneca.

O que mais você precisa saber hoje

Pandemia. Pesquisa: reabertura de escolas não aumentou o número de casos de Covid-19

Congresso. O que é o projeto de defesa do Estado Democrático de Direito que vai revogar lei da ditadura

Reforma. Qual é o tamanho da ala ideológica do governo após a saída de Ernesto Araújo

Geração distribuída. Com marco legal engatilhado, energia solar é desincentivada, diz Absolar

Colunas e artigos

C.S. Lewis e Tolkien. Antes de se tornar o mais celebrado autor cristão do século XX, C.S. Lewis era ateu. Quem ajudou-o a aceitar o cristianismo foi outro escritor célebre, J.R.R. Tolkien. Joseph Loconte, da National Review, conta essa história. Flavio Gordon mostra como as Big Techs vêm liderando uma cruzada contra a liberdade de expressão e a autonomia médica. E André Barcinski diz por que ser ídolo é mais importante que ser craque.

Nossa visão  

Leilões de infraestrutura . A retomada dos leilões de infraestrutura, paralisados quando a pandemia de coronavírus chegou ao país, no ano passado, já garantiu um resultado positivo para o governo federal. Os três lotes de aeroportos leiloados nesta quarta-feira foram arrematados com ágio significativo – a outorga total oferecida pelos vencedores foi de R$ 3,3 bilhões, quase 18 vezes maior que o lance mínimo exigido pelo governo. Tema para o nosso novo editorial: Os aeroportos e o bom recomeço dos leilões de infraestrutura.

No momento, o transporte aéreo em todo o mundo vive dias bastante complicados, mas à medida que a vacinação se generalizar e houver a redução no número global de casos e mortes, há a expectativa de uma retomada no turismo e nas viagens de negócios, e que o Brasil também precisa estar pronto para aproveitar.

Para inspirar

100 anos do leite condensado. Há 100 anos nascia um produto que se tornou uma paixão nacional: o leite condensado. Uma pesquisa recente revelou que os brasileiros consumiram, em média, 6,4 quilos do produto no último ano. Gisele Rech, do Bom Gourmet, conta a história do leite condensado e por que ele faz tanto sucesso. Tenha um ótimo dia!

8 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]