i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Friedmann Wendpap

Tempo azul

  • Porfried­mann­wend­pap@­gmail.­com
  • 10/08/2014 21:03
 |
| Foto:

O dia alvoreceu azul. Azul que azuleja o dia no verso do Djavan. Curitiba, a nublada, nem parecia ser o que é, no frescor da aurora sem o frio que dói nos ossos. Como pode um dia desses ser quinta! Claro, sábado e domingo serão gris, úmidos, tiritantes.

Os minutos voam, penso que o rádio-relógio mostra o tempo errado, acelerado, enquanto a música fala sobre coisas que ficam claras no raiar do dia. As obrigações começam a premer os botões da responsabilidade e latejam na cabeça: não há tempo, não há tempo. Ablução matinal. Água frígida. As aulas, o trabalho, trânsito, ônibus. Para tudo há hora; medida com relógios, sóis, ampulhetas ou cântaros que gotejam, a hora é tirana.

A luz nova imanta o olhar. A infinitude do azul me faz fitar até onde a visão se perde. Momentos se foram e fiquei com a impressão de que o azul também me fitou.

Quero esse dia para mim, mas não tenho tempo para a contemplação, fruição, percepção. Primum vivere deinde philosophari, cogito com os botões e, tentando viver e filosofar simultaneamente, balbucio que tenho tudo, menos tempo. Nem sequer o há para deitar na calçada ainda gelada, sentir o mundo girar e deliciar-se com a leve náusea que essa sensação causa. Não posso, você não pode. Ninguém pode. Deveres, compromissos, convenções, exigências. Meio-dia. Ainda o azul.

Apressadas, as pessoas comentam sobre a leveza do dia enquanto se consomem na penumbra de lajes, telhados, coberturas, toldos. Ninguém lagarteia ao sol. Tudo à mão, menos tempo. A tarde começa com as fainas vespertinas, compridas, estafantes, ponteiros lentos. A luz se torna antiga e o dia azul vai sendo devorado pela noite de fugaz breu rútilo, pontilhado de estrelas.

A nublada, que não dá tempo ao tempo, logo vê cascata brumosa descendo as encostas da Serra do Mar e o edredom de nuvens cobre o céu. Quando o azul me extasiará outra vez?

Angustiado, me sentindo carente do bem mais precioso do mundo, imagino o tempo como prêmio de loteria. Mega-sena acumulada: 20 milhões de horas para desfrutar livre de brevidades. Apostarei um minuto, dez horas? Sonhando com a possibilidade de ser milionário do tempo, de largar a pobreza das horas contadas, dos minutos esbaforidos, deleito-me com cenas de azuis sem fim, de lua cheia quase eterna.

Anjos usam relógio? Sem encargos, não necessitam acompanhar as horas. É sempre feriado. O ócio celestial soa tedioso. E o diabo, conta o tempo? Sei lá! Por que faria isso? Quem sabe para atazanar seus hóspedes, importunando-os com a lembrança do quanto já sofreram e o restante a expiar.

A serpente de automóveis vai rastejando lentamente para o Alto da XV. Compelido a interromper os delírios, me lembro da manhã azul, distante do ocaso como se fosse outra vida. Ouço a previsão do tempo desejando mais azul. Não. O cinza predominará com poucas aparições do sol entre nuvens.

A privação de prazeres singelos como o deleite de um dia de céu oceânico ocorre em nome da seriedade da vida adulta, de ater-se aos compromissos, deixando para depois o que existe agora, num futuro que pode ser apenas talvez.

Dê sua opinião

O que você achou da coluna de hoje? Deixe seu comentário e participe do debate.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.