Arthur Lira anuncia novo cronograma de distribuição de vacinas em reunião com governadores.
Arthur Lira anuncia novo cronograma de distribuição de vacinas em reunião com governadores.| Foto: Jonathan Campos/ AEN

O Paraná vai receber uma nova remessa de vacinas contra o coronavírus nesta quarta-feira (3). Chegam por volta das 8h30, no Aeroporto Afonso Pena, 146.800 doses da vacina CoronaVac. Dessa quantidade, 6 mil doses serão enviadas para Cascavel, cidade que enfrenta o pior quadro no Estado. O anúncio foi feito durante uma reunião do Fórum de Governadores, do qual participou o governador do Paraná, Carlos Massa Ratinho Junior (PSD), com o presidente da Câmara Federal, Arthur Lira. No encontro também foi apresentado o cronograma de distribuição das vacinas aos estados, elaborado pelo Ministério da Saúde.

De acordo com Lira, a expectativa do governo federal é contar com cerca de 139 milhões de doses até o fim de maio. Assim, seriam encaminhadas para os estados 39 milhões de doses em março, 53 milhões em abril e 47 milhões em maio. A intenção é de que até julho 50% da população brasileira esteja vacinada. “Serão 454 milhões de imunizantes à disposição da população até o fim do ano. Temos R$ 20 bilhões reservados para comprar vacina”, afirmou Lira durante a reunião.

Segundo as informações do governo do Paraná, durante o encontro, Arthur Lira pediu para que os governadores atuem junto às bancadas federais para convencê-los a destinarem as emendas parlamentares exclusivamente para o combate a pandemia.

Os governadores também souberam na reunião que o Brasil receberá, ainda em março, as primeiras doses da vacina Covaxin, produzidas pelo laboratório Precisa Medicamentos/ Bharat Biotech. Foram comprados 20 milhões de doses do imunizante, que chegam ao Brasil em 3 lotes, distribuídos entre os meses de março (8 milhões), abril (8 milhões) e maio (4 milhões).

Na última sexta-feira (26), o Ministério Público Federal (MPF) apresentou um pedido para que o Tribunal de Contas da União (TCU) determinasse ao Ministério da Saúde a suspensão da compra da vacina indiana. O MPF sugeriu redirecionar os recursos investidos na compra de vacinas com eficácia comprovada e já existentes no mercado. O TCU não acatou o pedido. O Ministério da Saúde investiu cerca de R$ 1,6 bilhão na compra da Covaxin. A vacina indiana ainda não passou pela fase 3 de testes, mas, de acordo com o fabricante, apresentou resultados positivos nas fases 1 e 2. Na Índia, a vacina já foi aprovada para registro. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) ainda não autorizou o uso emergencial da vacina no Brasil.

Confira o cronograma de entrega de vacinas para os estados

  • Março – 39 milhões de doses
  • Abril – 53 milhões de doses
  • Maio – 47 milhões de doses
1 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]