150447

Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

PUBLICIDADE
  1. Home
  2. Política
  3. República
  4. Alvaro Dias ganha padrinho de peso na disputa pelo comando do Senado

Presidência

Alvaro Dias ganha padrinho de peso na disputa pelo comando do Senado

Senador paranaense, que foi candidato a presidente da República pelo Podemos, jantou com o vice-presidente eleito, o general Hamilton Mourão 

  • Da Redação
Alvaro Dias foi candidato a presidente da República com um discurso anticorrupção muito parecido com o de Jair Bolsonaro. | Daniel Ramalho/AFP
Alvaro Dias foi candidato a presidente da República com um discurso anticorrupção muito parecido com o de Jair Bolsonaro. Daniel Ramalho/AFP
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

O senador paranaense Alvaro Dias, que disputou a Presidência da República pelo Podemos, é um dos cotados para comandar o Senado Federal na próxima legislatura, a partir de fevereiro de 2019. Para isso, ele ganhou um padrinho de peso, segundo o portal BuzzFeed News: o general Hamilton Mourão, vice-presidente eleito na chapa com Jair Bolsonaro (PSL).

Dias participou de um jantar pelos 25 anos do PRTB, o partido de Mourão, na sexta-feira (14), em São Paulo. O evento também festejou a diplomação do general pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Foi convidado por Levy Fidélix, eterno presidente da sigla e um dos articuladores da costura política que conduziu o general ao posto de vice-presidente da República.

O senador sentou-se ao lado de Mourão, que disse que gostaria de vê-lo como presidente do Senado ou como líder do governo na Casa. O apoio do militar é mais do que bem vindo a Alvaro Dias. Mourão já demonstrou mais de uma vez que pretende ter voz e um papel ativo no novo governo. Recentemente, travou uma queda de braço com o ministro extraordinário da Transição, Onyx Lorenzoni, que resultou em um enfraquecimento da influência do futuro chefe da Casa Civil.

LEIA TAMBÉM: Time de Bolsonaro prepara pacote de cortes de funcionários terceirizados

Extraoficialmente, o governo Bolsonaro vê com preocupação a candidatura de Renan Calheiros (MDB-AL) à presidência do Senado e busca alternativas que possam fazer frente ao favoritismo do emedebista. O Podemos terá em 2018 cinco dos 81 parlamentares do Senado; o PSL, quatro; e o PRTB, nenhum.

Outros nomes também são cotados e até o dia da votação tudo pode acontecer, inclusive uma união entorno do nome de Alvaro Dias.

Cid Gomes (CE) diz ter o apoio de um bloco liderado por PDT, Rede, PPS e PSB. Outro nome forte é o de Tasso Jereissati (PSDB-CE), apontado inclusive como o candidato mais forte para enfrentar Renan. Em meio a tanta especulação, surge concorrência até dentro do MDB. A líder da legenda, Simone Tebet (MS), é mencionada por alguns senadores como potencial candidata.

Também circula pelos corredores o nome do deputado Espiridião Amin (PP-SC), ex-governador de Santa Catarina, que retorna ao Senado em 2019.

8 recomendações para você

deixe sua opinião

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

O jornalismo da Gazeta depende do seu apoio.    

Por apenas R$ 0,99 no 1º mês você tem
  • Acesso ilimitado
  • Notificações das principais notícias
  • Newsletter com os fatos e análises
  • O melhor time de colunistas do Brasil
  • Vídeos, infográficos e podcasts.
Já é assinante? Clique aqui.
>