i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Banco público

Guru de Bolsonaro define nome do futuro presidente do Banco do Brasil

Economista Rubem Novaes estudou com futuro ministro Paulo Guedes na Universidade de Chicago e chegou a ser cotado para presidir o BNDES. Nome será levado ao presidente eleito

    • Folhapress
    • 22/11/2018 14:01
    Rubem Novaes defende as privatizações e, à frente do Banco do Brasil, deve promover a venda do braço de investimento da instituição. | Ana Gabriella Amorim/Gazeta do Povo
    Rubem Novaes defende as privatizações e, à frente do Banco do Brasil, deve promover a venda do braço de investimento da instituição.| Foto: Ana Gabriella Amorim/Gazeta do Povo

    O futuro ministro da Economia Paulo Guedes escolheu o economista Rubem Novaes para presidir o Banco do Brasil. Na Caixa Econômica Federal, o comando deverá ser confirmado nesta quinta (22) para Pedro Guimarães. Ambos os nomes serão submetidos ao presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL), que deverá fazer as indicações formalmente.

    Novaes é amigo de Guedes desde os tempos em que estudaram na Universidade de Chicago (EUA), berço do liberalismo econômico. É professor da Fundação Getúlio Vargas e foi diretor do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social). Chegou a ser cotado para presidir o banco porque não queria deixar o Rio de Janeiro, onde mora.

    LEIA TAMBÉM:  Briga por protagonismo entre Mourão e Onyx abre espaço para Guedes e Moro

    Para o Banco do Brasil, Guedes queria indicar inicialmente o atual presidente da Petrobras, Ivan Monteiro, mas sofreu forte resistência da ala política de Bolsonaro que não queria o executivo por ter trabalhado como diretor da estatal na gestão petista.

    Novaes defende as privatizações e, à frente do Banco do Brasil, deve promover a venda do braço de investimento da instituição, seguindo a diretriz definida por Guedes de retirar os bancos públicos – BB e Caixa particularmente – de todos os negócios que não forem relacionados a políticas públicas. 

    LEIA TAMBÉM: Reforma ministerial precisa sair neste ano para evitar risco de apagão da máquina pública

    Na presidência da Caixa, Guimarães deverá comandar a venda da área de cartões de crédito e de seguros. Sócio do banco de investimento Brasil Plural, Guimarães possui mais de 20 anos de atuação no mercado financeiro na gestão de ativos e reestruturação de empresas. Doutor em Economia pela Universidade de Rockester (EUA), especializou-se em privatizações.

    Deixe sua opinião
    Use este espaço apenas para a comunicação de erros
    Máximo de 700 caracteres [0]

    Receba Nossas Notícias

    Receba nossas newsletters

    Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

    Receba nossas notícias no celular

    WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

    Comentários [ 0 ]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.